A carta de Léo Pinheiro: “Provas lícitas contra Lula”

Preso em Curitiba, Léo Pinheiro desmente o The Intercept e reafirma o pagamento de propinas a Lula.

“Preciso dizer que as reformas não foram um presente. Os empreendimentos da Bancoop assumidos pela OAS apresentavam grandes passivos ocultos, com impostos, encargos que não deveriam ser assumidos pela OAS. Em paralelo, João Vaccari cobrava propina de cada contrato entre OAS e Petrobras. Combinei com Vaccari que todos os gastos do triplex e sítio seriam descontados da propina. Repito, esse encontro de contas está provado por uma mensagem minha trocada na época dos fatos, devidamente juntada no processo e ainda pelo depoimento do diretor da empresa.”

E também:

“As obras do sítio e no triplex tinham custos relevantes e eram devidamente contabilizadas. Documentos internos da OAS provaram no processo que as despesas das duas obras eram lançadas em centros de custos próprios, com uma referência ao ex-presidente (Zeca Pagodinho) e as divisões ‘praia’ e ‘sítio’”.

O triplex foi descontado da propina que a OAS repassou ao PT, pelos contratos da Petrobras. E as provas desse fato, como ele admite, não são apenas testemunhais. A Lava Jato apresentou centenas de documentos que comprovam os crimes de Lula.

Léo Pinheiro, ainda em sua carta, disse que a propina da OAS para o PT foi avalizada por Lula, e que foi fruto de contratos da empreiteira com a Petrobras. Disse também que descontou dessa propina os valores pagos a Lula no triplex e no sítio de Atibaia.

“Afirmei ainda que os valores gastos pela OAS foram devidamente contabilizados e descontados da propina devida pela empresa ao Partido dos Trabalhadores em obras da Petrobras, tudo com anuência do seu maior líder partidário. A conta corrente com o PT chegou a aproximadamente R$ 80 milhões, por isso havia um obrigatório encontro de contas com o sr. João Vaccari.

O meu interrogatório foi confirmado por provas robustas que o Poder Judiciário, em três instâncias, entendeu como material probatório consistente para condenação de todos os envolvidos.”

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.