UFPel chega aos 50 Anos aproximando culturas e conhecimentos

A Universidade Federal de Pelotas, ao completar 50 Anos, nesta quinta-feira, dia 8 de agosto, vive um permanente processo de recriação. Com origem mais do que Centenária (sua unidade mais antiga, a Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, foi criada em 1883), a UFPel aproxima culturas e saberes, diminuindo desigualdades e promovendo a diversidade, a inclusão e o desenvolvimento total da sociedade.

Diversa e Inclusiva

A UFPel revela-se uma Universidade marcada pela diversidade e pela inclusão. A diversidade se dá pela variedade de cursos, de graduação e de pós-graduação, e pelas diferentes origens culturais e geográficas dos membros da comunidade acadêmica, que formam o mosaico cultural que constrói a Instituição. O ingresso nos cursos de graduação pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do MEC permite que estudantes de todo o país frequentem a UFPel, fortalecendo ainda mais a diversidade.

As cotas, os processos seletivos especiais e a forma alternativa de ingresso, o Pave (Programa de Avaliação da Vida Escolar), que dobrou o número total de vagas e amplia o acesso para candidatos oriundos de escolas públicas, dão um forte contorno inclusivo à Instituição.

Uma História Rica

Imagem do Campus Capão do Leão.

A história da UFPel remonta à Universidade Rural do Sul (URS), cujo surgimento, em 1960, resultou de esforços movidos por professores da Escola de Agronomia Eliseu Maciel, que desde 1957 lutavam por sua criação.

O decreto que criava a Universidade Rural do Sul, vinculada ao Ministério da Agricultura, era composto pela centenária Escola de Agronomia Eliseu Maciel, Escola Superior de Ciências Domésticas, Escola de Veterinária, Escola de Pós-Graduação e pelo Centro de Treinamento e Informação (Cetreisul), considerado uma unidade acadêmica.

Em 1967, o decreto nº 60.731 federaliza a Universidade Rural do Sul, sendo transferida para o Ministério da Educação e Cultura, passando a denominar-se Universidade Federal Rural do Rio Grande do Sul (UFRRS), e as unidades passam de cursos a faculdades.

Em 1968, foi criada uma comissão composta por professores e acadêmicos, destinada a estudar e propor a reestruturação da universidade.

Assim, em 8 de agosto de 1969, o Presidente da República assinou decreto que transformou a Universidade Federal Rural do Rio Grande do Sul, em Universidade Federal de Pelotas, composta pelas Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, Faculdade de Veterinária, Faculdade de Ciências Domésticas, Faculdade de Direito (fundada em 1912), Faculdade de Odontologia (1911) – as duas últimas pertencentes à Universidade Federal do Rio Grande do Sul, e o Instituto de Sociologia e Política (ISP), fundado em 1958. E outras instituições particulares que existiam em Pelotas foram agregadas à UFPel, como o Conservatório de Música de Pelotas, a Escola de Belas Artes Dona Carmen Trápaga Simões e o Curso de Medicina do Instituto Pró-Ensino Superior no Sul do Estado (Ipesse). E, no mesmo ano, o Conjunto Agrotécnico Visconde da Graça (CAVG) também passou a fazer parte da UFPel.

De sua parte, a Faculdade de Ciências Domésticas deu origem a outras unidades, como a Faculdade de Educação, o Curso de Química de Alimentos e a Faculdade de Administração e de Turismo.

A Universidade teve como primeiro reitor o professor Delfim Mendes Silveira, diretor da Faculdade de Direito, que administrou a Instituição até 1977.

Na sequência, ocuparam o cargo de reitor os professores Ibsen Wetzel Stephan(1977-1981), José Emílio Gonçalves Araújo(1982-1984), Ruy Brasil Barbedo Antunes(1984-1988), Amílcar Goyhenex Gigante(1989-1993), Antonio Cesar Gonçalves Borges(1993-1997), Inguelore Scheunemann de Souza(1997-out/2004), André Luiz Haack(dez/2004 a janeiro/2005 – pro tempore), Antonio Cesar Gonçalves Borges(2005-2009 e 2009-2013), Mauro Augusto Burkert Del Pino (2013-2017) e Pedro Curi Hallal (atual).

Como vice-reitores, figuram os nomes dos professores Renato Rodrigues Peixoto, Alexandre Valério da Cunha, Guido Kaster, Clinéa Campos Langlois, Léo Zilberknop, Paulo Eduardo Brenner Soares, Luiz Henrique Schuch, Daniel de Souza Soares Rassier, José Carlos da Silveira Osório, Jorge Luiz Nedel, André Luiz Haack, Telmo Pagana Xavier, Manoel Luiz Brenner de Moraes, Carlos Rogério Mauch, Denise Gigante e Luís Amaral (atual).

A Administração Superior da UFPel compõe-se do Conselho Diretor da Fundação (Condir); Conselho Universitário (Consun); Conselho Coordenador do Ensino, da Pesquisa e Extensão (Cocepe); e Reitoria.

Em 2018, foi criado o Conselho de Planejamento (Coplan). A nova instância visa garantir transparência, participação e inclusão da comunidade universitária nos atos de administração e na construção de diretrizes para o futuro, sendo composto de modo paritário entre as categorias e objetivando avaliar, orientar, emitir e encaminhar pareceres aos conselhos deliberativos e à Administração da Universidade.

Perfil

Todas as áreas do Conhecimento estão contempladas no ensino da UFPel, tanto na Graduação quanto na Pós-Graduação.

Alunos trabalham em laboratório da UFPel.

Na Graduação, são 92 cursos presenciais e quatro a distância, com mais de 17,5 mil alunos. Todos os anos, ingressam na Universidade mais de quatro mil calouros, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), Programa de Avaliação da Vida Escolar (Pave) e editais específicos, como os para indígenas e quilombolas e para surdos.

Mais de 90 cursos de pós-graduação são oferecidos, nos níveis de especialização, de mestrado acadêmico e profissional e de doutorado, com cerca de três mil estudantes. Há também as Residências Médicas e a Multiprofissional.

A Universidade gera conhecimento, fazendo Ciência. Aplica o conhecimento construído, gerando novas tecnologias. Busca o que nunca foi feito, inovando. Hoje, na UFPel, são 1,3 mil projetos de pesquisa em andamento, em todas as áreas do conhecimento. Os projetos são desenvolvidos envolvendo docentes e estudantes, em todos os níveis do ensino, da graduação ao doutorado.

Espetáculo de dança.

Através de mais de 750 projetos de extensão, que englobam quase 1,8 mil ações, e de atendimentos diretos nas diversas áreas, a Universidade entrega tudo o que sabe à sociedade, seja para curar uma dor de dente, melhorar o desempenho de uma empresa ou exibir uma obra de arte.

Pelo trabalho que faz, no Ensino, na Pesquisa e na Extensão, e por sua organização espacial, com unidades acadêmicas e administrativas espalhadas por Pelotas e no Capão do Leão, e também em Eldorado do Sul, está plenamente inserida na comunidade.

São sete Campi, o Capão do Leão, o Anglo, o Fragata, que abriga a Faculdade de Medicina, o Norte, onde está a Escola Superior de Educação Física (Esef), o Porto, o Centro e o Fora de Sede, do curso de Transporte Terrestre, em Eldorado do Sul.

Além do corpo discente, a comunidade universitária é formada por 1,4 mil docentes e 1,3 mil técnico-administrativos.

Programação

Logo dos 50 anos da UFPel.

Nesta quinta-feira, às 18h, será realizada a cerimônia comemorativa aos 50 Anos, no auditório da Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel (Faem), no Campus Capão do Leão. A noite será marcada pela outorga de títulos honoríficos a diversos servidores da instituição. No total, 49 pessoas receberão os títulos de Mérito Universitário, Professor Emérito e Técnico-Administrativo Emérito, sendo que este será entregue pela primeira vez na história da UFPel. Veja a lista de homenageados em https://wp.ufpel.edu.br/ufpel50anos/2019/07/31/lista-de-servidores-homenageados-pelos-50-anos-e-divulgada/ .

A programação prossegue até o fim do ano, com a Rústica, que ocorre no dia 18 de agosto, domingo, e depois com eventos nos Restaurantes Universitários, com o lançamento do selo comemorativo dos Correios, em data a ser divulgada, e com a participação na Feira do Livro de Pelotas, alusiva ao aniversário.

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.