“Cortes no orçamento e Future-se eliminaram divergências políticas na UFPel”

Em conversa com o jornal nesta semana, o reitor da UFPel, Pedro Hallal, disse que a Universidade vive hoje “duas pautas pulsantes”: uma é a situação orçamentária, cujo contingenciamento de verba (cortes na prática) está se fazendo sentir na pele de toda a comunidade acadêmica.

Começaram a faltar insumos para o curso de Gastronomia, bolsas de extensão só podem ser pagar por mais um mês, não há mais dinheiro para equipes participem de jogos universitários etc. “Um monte de estudantes do pós-graduação perdeu bolsa ou está na iminência de perder, o que nos obrigou a tomar medidas urgentes para tentar adiar ao máximo os efeitos do corte”, falou o reitor.

A outra pauta, segundo Hallal, é o programa Future-se:

“O Future-se é ruim, péssimo, mal planejado. Mesmo um liberal, se for honesto, vai concordar que o programa é ruim, elaborado com preguiça”.

Segundo Hallal, as duas pautas (Orçamento Contingenciado e Future-se), somadas, reuniram a comunidade acadêmica, superando as diferentes correntes políticas, formando um consenso pela rejeição àquelas ações do MEC.

“Mesmo a polêmica em torno da ideia de um plebiscito – para que a comunidade acadêmica decida se a Universidade deve ou não aderir ao Future-se – arrefeceu e morreu”.

“Estamos vivendo uma situação atípica, a gente não sabe como vai ser o futuro”.

UFPel busca adiar efeitos do corte

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.