Depois de viagem clandestina, devolveram o Bonitinho a Pelotas

Nesta semana, a imprensa pelotense noticiou o desaparecimento de um vira-latas. Uma das matérias teve o seguinte título: “Cachorro pelotense está perdido em Rio Grande”.

O nome do cão é Bonitinho, na foto acima.

Vivia há seis anos na Rodoviária pelotense o Bonitinho; vive de novo, já que foi localizado por uma moradora do Parque Marinha, em Rio Grande.

Por algum motivo, no dia 10 deste mês, o vira-latas resolveu fazer uma viagem, aboletando-se, em princípio sem que ninguém percebesse, no compartimento de malas de um ônibus que seguia para Rio Grande.

O noticiário informou também, com as palavras a seguir, que Bonitinho “passou 10 dias longe de sua terra natal, Pelotas“, acrescentando que “Clair Ferreira, a rio-grandina que o localizou, passeava com seu próprio cão quando botou os olhos no visitante e ‘logo percebeu que ele não era da região‘ “.

A mulher então soube pelas redes sociais que o cão era reivindicado em Pelotas e contatou os interessados no resgate.

A vereadora pelotense Cristina Oliveira, conhecida protetora de animais, trouxe mais informações.

Ela contou aos jornalistas que o peludo passou dois dias abrigado na garagem da empresa de ônibus na cidade vizinha, mas que, no terceiro dia, foi despejado, indo para a rua, até ser localizado por Clair. De volta a Pelotas, está disponível para adoção.

De todos, o fato mais intrigante no episódio não pode ser explicado: o motivo que levou Bonitinho a meter-se secretamente no bagageiro de um coletivo, em busca de novos ares. Não pode ser racional, já que Bonitinho apenas sente, e reage por instinto.

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.