Prefeitura diz que maior parte dos serviços públicos não foi atingida pela greve

 

Da prefeitura | A maior parte dos serviços públicos municipais não foi atingida pela paralisação de servidores, decidida em assembleia realizada na quarta-feira (2).

O movimento anunciado, motivado pela alteração do calendário de pagamento de salários, interferiu na rotina da Saúde e da Educação.

As demais áreas trabalharam dentro da normalidade, de acordo com apuração de dados que relatam a frequência de funcionários e a operacionalidade das secretarias até o meio-dia desta quinta-feira (3).

Das secretarias que prestam atividades voltadas à cidade e à população, a de Serviços Urbanos e Infraestrutura (Ssui) trabalhou normalmente. De acordo com o secretário Antônio Ozório Campos, 100% das ações programadas foram executadas, com o funcionamento do Departamento de Iluminação Pública (DIP), Hospedaria de Animais, setor de drenagem, patrolamento, Cemitério da Boa Vista, praças, ecopontos e outros. As sete administrações regionais tiveram uma manhã rotineira. A Sersul não interrompeu as atividades.

A Secretaria de Obras e Pavimentação (Smop) também seguiu sua programação, com ações pontuais na rua Clio Fiori Druck (Três Vendas) e avenida Visconde da Graça (Simões Lopes). Massa asfáltica não foi usinada pela manhã, porque com as ruas molhadas não é possível realizar operação tapa-buracos. Área do Navegantes, agendada para receber os serviços, segue em preparação para recuperação nesta sexta-feira (4), se o tempo estiver estável.

A área de Segurança Pública continuou com cobertura. A Guarda Municipal, de acordo com informações do secretário Aldo Bruno Ferreira, manteve as viaturas em operação e o efetivo nas ruas.

A Secretaria de Transporte e Trânsito (STT), no turno da manhã, trabalhou com 100% do pessoal da sinalização. O secretário Flávio Al-Alam informou que Agentes de Trânsito mantiveram o setor em atividade e sob controle. Ausências ao trabalho foram inexpressivas.

Na área de Assistência Social, houve baixa adesão à paralisação de municipários. Os nove abrigos públicos (casas-lares) funcionaram normalmente. O secretário Luiz Eduardo Longaray detalha que, pela manhã, dos cinco Centro de Referência de Assistência Social (Cras) do Município, dois não abriram e três mantiveram as atividades. O Centro de Referência Especializado de Assistência Social I (Creas) também trabalhou; enquanto o Creas II não abriu. Os setores de Nutrição e Manutenção seguiram com a rotina, e o Cadastro Único garantiu atendimento. Em relação a motoristas da Secretaria, 50% compareceram ao trabalho, assegurando as prioridades.

A Empresa do Terminal Rodoviário (Eterpel) não registrou alterações no expediente, mantendo as atividades normais, segundo o diretor-presidente Cláudio Montanelli.

Na Secretaria de Qualidade Ambiental, embora setores técnicos e de fiscalização tenham funcionado com redução no ritmo, o atendimento ao público segue normal. O secretário Felipe Perez Fernandez salientou que a equipe de podas está à disposição para atendimentos emergenciais.

As oito Administrações Distritais da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) e a sede, à avenida Bento Gonçalves, 4.824, seguem com atividades normais, de acordo com o secretário Jair Seidel.

O secretário da Fazenda, Jairo Dutra, informou que o expediente manteve-se normal na Secretaria. A Secretaria de Administração e Recursos Humanos (SARH) também funcionou sem alterações, e a de Gestão da Cidade e Mobilidade Urbana (SGCMU), de acordo com o secretário Jacques Reydams, prosseguiu normalmente, principalmente com atendimento ao público.

A Secretaria de Cultura (Secult) esteve com funcionamento normal. O secretário Giorgio Ronna informou que o Museu da Baronesa também se manteve aberto.

A Secretaria de Planejamento e Gestão funcionou com 100% do quadro de servidores e manteve as atividades normais, de acordo com o secretário Roberto Ramalho. A de Habitação e Regularização Fundiária também assegurou o atendimento sem alterações, segundo o secretário Ubirajara Leal.

Saúde

A paralisação de servidores afetou parte dos serviços de saúde na manhã desta quinta-feira. No entanto, os setores de urgência e emergência funcionaram a pleno: Samu, Pronto Socorro e Unidade de Pronto Atendimento (UPA). A Ubai Navegantes, reduziu o horário, mantendo expediente nos turnos da tarde e noite.

Das 50 Unidades Básicas de Saúde (UBSs), 20 mantiveram atendimento normal e 30 não abriram. Estes serviços incluem unidades das zonas rural e urbana, tanto tradicionais como as em conjunto com as universidades Católica e Federal, e as equipes Estratégia Saúde da Família (ESF).

Educação

A Secretaria de Educação e Desporto (Smed) detalhou o funcionamento de seus setores na primeira manhã de paralisação, que deve estender-se até segunda-feira (7), conforme decisão de assembleia da categoria. O secretário Artur Corrêa informou que os funcionários da sede da Smed mantiveram expediente normal, assim como os do Centro de Atendimento ao Autista Doutor Danilo Rolim de Moura, os da manutenção e os motoristas do transporte escolar rural.

Os motoristas do transporte escolar urbano registraram 90% de paralisação, e os condutores dos veículos da merenda pararam na totalidade (100%).

Em relação às escolas, a situação foi a seguinte:

* Educação Infantil – 29 escolas – 20 paralisadas; três com atendimento parcial; seis com atendimento normal.

* Escolas de Ensino Fundamental – zona urbana – total de 40 – 16 com atendimento parcial; 17 com atendimento normal; sete paralisadas.

* Escolas de Ensino Fundamental – zona rural – total de 20 – 19 com funcionamento normal; uma paralisada.

* Escola de Ensino Médio – Colégio Municipal Pelotense – paralisado.

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.