Família de estudante da UFPel morta por atropelamento não se conforma

Daniela, do Instagram

A família de Daniele Rocha Bacelo, de 18 anos, que morreu atropelada em Pelotas, está inconformada com o acidente, informa o G1.

“Queremos justiça! Nada vai trazer minha irmã de volta, mas o responsável precisa pagar. Quero que ele lembre todos os dias da vida dele que ele destruiu uma família por imprudência”, disse a irmã da jovem, Luiza Rocha, 28 anos.

“Ela não morreu, não foi uma fatalidade. Ela foi assassinada. Não foi culposo, foi doloso”, questiona Luiza.

Estudante da UFPel morre em acidente

A delegada que acompanha o caso, Anita Caruccio, disse que “os dois [motoristas envolvidos] foram ouvidos no mesmo dia. Se algum for indiciado, será homicídio culposo [sem intenção de matar] de trânsito”, disse a delegada do caso, Anita Caruccio.

Daniele Rocha Bacelo, 18 anos, foi atropelada na última sexta-feira (4), em Pelotas — Foto: Arquivo Pessoal / Instagram
Daniela 

Daniela era aluna de Farmácia na Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e morava com a irmã.

“Montei um apartamento todo para nós. Me diz como eu vou voltar para casa agora? Ela era nosso equilíbrio. Em casa, somos todos brigões. Ela era calma, serena, organizada. Colocava todo mundo no eixo. Fazia todo mundo parar de brigar”, relembra Luiza, a irmã.

 

Daniele tinha 10 anos menos do que a irmã, mas, para Luiza, era ela quem inspirava a família. Ela morava com mãe, a avó mora e o irmão João Antônio, 16 anos, em Santa Vitória do Palmar. Mudou-se para Pelotas com o objetivo de seguir a carreira na área da saúde, como a mãe e a irmã enfermeiras. Agora, Luiza retornou provisoriamente para ajudar a cuidar dos familiares.

“Ela é minha inspiração de ser humano. Eu sempre dizia que queria ser que nem ela. Era minha melhor amiga, minha boneca”, define.

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.