Menos de 100 comerciários decidiram o destino financeiro e de emprego no comércio

Pelotas tem por volta de 9.000 comerciários.

Em assembleia nesta semana, no Sindicato dos Empregados no Comércio (SecPel), por volta de apenas 100 comerciários votaram sobre a abertura do comércio da cidade nos domingos e feriados. 

Menos de 100 comerciários decidiram o destino financeiro e de emprego desse universo, votando contra a abertura naqueles dias.

O comércio do Centro e restante da cidade ficará para trás. Resultado parece óbvio: demissões num horizonte próximo.

Com a Havan podendo abrir nos domingos e feriados, por acordo em separado, como já ocorre com o Shopping Pelotas, os dois empreendimentos trabalharão 60 dias por ano a mais do que os demais comércios, 52 domingos e oito feriados.

Enquanto Havan e Shopping trabalharão 362 dias por ano, o restante do comércio trabalhará apenas 302 dias. Uma diferença significativa de dias que certamente terá reflexos nas vendas de quem não puder abrir.

O fato de o Shopping poder abrir nunca foi sentido como um problema pelos comerciantes do Centro porque o movimento no Shopping não representa concorrência significativa. Já com a chegada da Havan, que vende de tudo, bicicletas, tintas inclusive, a megaloja concorre diretamente com o “Centro”, que pode perder concorrência se mantiver as portas fechadas nos domingos e feriados.

Para entender o imbróglio Havan, Sindilojas, SecPel e o trabalho aos domingos e feriados

2 thoughts on “Menos de 100 comerciários decidiram o destino financeiro e de emprego no comércio

  1. Desde quando os empregados decidem quando o Patrão pode ou não abrir o seu estabelecimento… Em tese o Empresário, deveria poder abrir 24 horas se quisesse e, assim, contratar pessoas para todos os turnos. Se estas pessoas “Ditos Comerciários” vão ou não querer trabalhar neste estabelecimento é uma decisão deles. Se preferem ficar em casa também,, OK.. Agora os COMERCIÁRIOS decidirem sobre a EMPRESA,,, deveriam então eles se tornarem empreendedores.. mas isso não querem não é mesmo, não querem o compromisso dos salários, impostos, problemas com equipes etc… Eles querem apenas o SALÁRIO garantido no final do mês, não importando se a loja fecha ao meio dia, e aos fins de semana. Isso é um absurdo, atraso e, com certeza nossa região está cada vez mais ATRASADA em TUDO… simplesmente porque O TRABALHADOR(piada) é QUEM DECIDE sobre a GESTÃO DAS EMPRESAS…

  2. Semelhante ao que aconteceu na decretação da “greve” que parou a UFPel, na primeira semana deste mês, cuja assembleia contou com exatos 16 participantes. E ainda tiveram a coragem de dizer que decisão da “multidão” foi unânime.

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.