Estadão fala em impeachment de Bolsonaro

O líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir, disse hoje que a suposta gravação que poderia “implodir o presidente” a que ele se referia na reunião de deputados desta semana era a de Jair Bolsonaro pedindo apoio ao filho Eduardo na liderança.

“A gravação foi trazida a público no dia anterior, aonde o presidente intervém no Parlamento, interfere no Parlamento, oferecendo a parlamentares que votassem contra mim… ele oferece fundo partidário, oferece cargos.”

Segundo Waldir, essas gravações ainda não foram divulgadas totalmente e na íntegra.

Delegado Waldir acusou Jair Bolsonaro de ter tentado “comprar a vaga do filho dele na liderança do PSL, oferecendo cargos e fundo partidário”.

O Estadão perguntou-lhe se isso é motivo para impeachment. Ele respondeu:

“Temos de aguardar. Quem decide isso é o Parlamento. Se algum partido fizer uma proposta, cabe ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia, se leva para plenário ou não. Não é decisão minha. Eles precisam analisar se compra de parlamentares para votar a favor do filho é motivo de cassação do presidente. Isso depende de outros fatores.”

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.