Ministério Público diz que porteiro mentiu ao citar Bolsonaro no caso Marielle

A promotora Simone Sibilio, do Ministério Público do Rio de Janeiro, disse nesta quarta-feira (30/10) que o porteiro que envolveu o nome do presidente Jair Bolsonaro nas investigações da morte da vereadora Marielle Franco mentiu em seu depoimento à Polícia Civil.

Em entrevista a jornalistas, Sibilio informou que a investigação teve acesso a documentos da portaria do condomínio Vivendas da Barra, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, onde o presidente tem uma casa, bem como às gravações das ligações feitas pelo interfone da portaria. Segundo ela, essas provas técnicas não batem com as declarações feitas pelo porteiro.

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.