Nota da UFPel sobre o show de Duca Leindecker

Em atenção aos itens “ATRAÇÃO” e “ATRAÇÃO II” publicados nesta segunda-feira (4), na coluna Espeto Corrido, do Jornal Diário Popular de Pelotas,  a administração da UFPel vem a público prestar os seguintes esclarecimentos:

1) Não há qualquer subsídio de ingressos por parte da Universidade ao show do artista Duca Leindecker (foto) a ser realizado na quinta-feira. O artista concordou em fazer o show com preço de meia entrada para todos, sensível às comemorações dos 50 anos da UFPel e a situação orçamentária da Universidade.

2) Não há qualquer verba pública envolvida no show em questão, cujo processo administrativo está disponível para consulta pública. O artista pagou um valor à UFPel pelos gastos inerentes ao uso do espaço do auditório, e todos os demais gastos são de sua responsabilidade. A UFPel recebeu 50 ingressos como cortesia e os sorteará entre seus estudantes, conforme divulgado amplamente.

3) A menção ao fato de que o cantor é casado com a ex-deputada Manuela D’Ávila é, em nossa opinião, um desrespeito a trajetória profissional do músico, líder da Banda Cidadão Quem e uma referência no cenário artístico gaúcho. Num momento em que as redes sociais insistem em polarizar a sociedade como se fosse um BRAPEL, é lamentável que a coluna reproduza essa visão equivocada e tente julgar o artista mais por sua esposa do que por sua obra.

4) A menção a necessidade de revisão os freios dos ônibus que transportam estudantes e servidores é irresponsável e precipitada. As causas do acidente ocorrido na semana passada, felizmente sem feridos graves, estão sendo investigadas com a devida seriedade e serão trazidas à publico, de forma responsável, ao final da apuração dos fatos.

1 thought on “Nota da UFPel sobre o show de Duca Leindecker

  1. Parabéns UFPel!!!

    A vida e o momento, nas mãos de irresponsáveis, cuja arma, hoje, são as fake news e as pós verdades, não está nada fácil…

    Um verdadeiro exército fakeniano a serviço do descrédito de organizações públicas e privadas, cujo maior “crime” é, num contexto ainda desconhecido para mim, amedrontar e/ou antagonizar determinado segmento social e politico brasileiro, sendo este incapaz de lidar com opiniões distintas das suas…

    Achei desnecessária a nota, visto que tais segmentos, mesmo que, por essência e princípio, insignificantes, acabam se fortalecendo com os “holofotes” voltados para si…

    De qualquer forma, parabéns novamente!!!

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.