Connect with us

Pelotas & RS

Emendas de Viana ao orçamento destinam R$ 1 milhão à Zona Sul

Publicado

on

Entre as mais de 200 emendas ao Orçamento 2020 aprovadas nesta terça-feira na Assembleia Legislativa, sete são de autoria do deputado Luiz Henrique Viana (PSDB). 

Do R$ 1 milhão que tem à disposição em emendas, o parlamentar destinará 74% para Pelotas. Destes, R$ 340 mil para obras de alargamento da Rua João Jacob Bainy, R$ 340 mil para compra de ultrassom e respiradores para o Pronto Socorro Municipal e R$ 60 mil para a requalificação da área externa do Centro de Atendimento ao Autista Doutor Danilo Rolim de Moura, totalizando R$ 740 mil. “Pelotas é a maior cidade da Zona Sul e também polo regional. Fui cuidadoso no sentido de destinar os recursos para áreas realmente consideradas prioritárias para o município”, destacou o parlamentar. 

Viana também está repassando R$ 60 mil para a Secretaria de Saúde de Rio Grande (aquisição de 20 camas hospitalares), R$ 50 mil para a Unidade Básica de Saúde Dr. Paulo Cardoso Dora, de Camaquã, e R$ 50 mil para aquisição de tablets e computadores para a rede pública estadual de São José do Norte, além de R$ 100 mil para a preservação do acervo e implementação do Sistema de Segurança no Museu Histórico Farroupilha, de Piratini. 

A Lei Orçamentária Anual (LOA) segue, agora, para análise do governador Eduardo Leite.

 

DESTINOS DAS EMENDAS DE VIANA

PELOTAS

Publicidade
  • Alargamento da Rua João Jacob Bainy – R$ 340 mil 
  • Ultrassom e cinco respiradores para o Pronto Socorro Municipal – R$ 340 mil
  • Requalificação da área externa do Centro de Atendimento ao Autista Doutor Danilo Rolim de Moura –  R$ 60 mil

RIO GRANDE

  • Secretaria Municipal de Saúde (aquisição de 20 camas hospitalares) – R$ 60 mil 

CAMAQUà

  • Unidade Básica de Saúde Dr. Paulo Cardoso Dora – R$ 50 mil 

SÃO JOSÉ DO NORTE

  • Tablets e computadores para a rede pública estadual de São José do Norte – R$ 50 mil 

PIRATINI

  • Preservação do acervo e implementação do Sistema de Segurança no Museu Histórico Farroupilha – R$ 100 mil

Publicidade
Clique para comentar

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor.

Especial

Hospital Escola recebe R$ 1,2 milhões e vai adquirir mamógrafo

Publicado

on

O Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas (HE UFPel) foi contemplado com uma parcela extra do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf) no valor de R$ 1.265.155,50.

Deste total, o valor de R$ 910.155,50 será destinado à aquisição de um novo mamógrafo para a instituição e R$ 355.000,00 serão destinados à continuidade da implementação da Gestão de Acesso do HE.

Esse recurso provém da redistribuição de valores não executados na rede, para hospitais que estão com processos licitatórios concluídos e com capacidade administrativa de executar o recurso. Essa aquisição é fruto do planejamento e eficiência administrativa do Hospital Escola da UFPel.

“O mamógrafo que será adquirido é um equipamento de ponta que traz mais qualidade ao exame de mamografia ofertado e aumento significativo na capacidade operacional, a fim de atender uma importante demanda da nossa população. Vamos contribuir fortemente na eliminação da lista de espera pelos exames de mamografia, essenciais para prevenção e tratamento do câncer de mama”, destacou a superintendente do HE, Samanta Madruga.

Conforme a gerente de atenção à saúde, Carolina Ziebell, atualmente o HE tem contratualizado com a Prefeitura de Pelotas via Sistema Único de Saúde (SUS), 600 mamografias por mês, porém tendo em vista que o aparelho atual está em via de desativação em função das atualizações tecnológicas que tornaram o equipamento defasado e antieconômico, a verba recebida será empenhada para um novo equipamento, inclusive com tecnologia mais avançada.

“Com a chegada deste novo aparelho teremos uma qualificação do exame, pois ele faz uma imagem com maior qualidade e retomaremos os 600 exames ao mês, podendo inclusive aumentar esta produção, se for o interesse do gestor municipal”, explicou Carolina.

Publicidade

O mamógrafo digital irá ser utilizado imediatamente após o recebimento e instalação, não sendo necessária qualquer ação de infraestrutura para o pleno funcionamento. Conforme a gerente administrativa, Daniele Zaffalon, a previsão de entrega é cerca de 120 dias.

Já a Gestão de Acesso é uma demanda antiga do Hospital Escola, que prevê a solução de tecnologia da informação com objetivo de dar segurança à instituição através da identificação no acesso das pessoas ao hospital, utilizando critérios pré-configurados e registrando todos os eventos relativos a esta atividade.

De acordo com o chefe do Setor de Planejamento, Mauro Calderipe, o HE foi o hospital que recebeu mais recursos extras dentro de toda rede, tendo em vista que o planejamento havia sido bem executado, com as licitações concluídas no tempo adequado e a capacidade de empenho dentro do tempo previsto.

Continue Reading

Especial

UFPel identificou autor da mensagem “Fora Bolsonaro” no Pave

Publicado

on

Nota da UFPel sobre mensagem de cunho político na prova do PAVE

A administração da Universidade tomou conhecimento, no último domingo (5), de inclusão em sua prova do Programa de Avaliação da Vida Escolar (PAVE) de formatação de caracteres em negrito compondo mensagem de cunho político na folha de instruções. (mensagem FORA BOLSONARO)

Cumpre informar à comunidade que a autoria da iniciativa já foi identificada, que não há qualquer indício de ofensa à integridade da prova e que já foi instaurado processo administrativo destinado à plena apuração dos fatos e responsabilidades.

A UFPel reitera seu compromisso com a comunidade universitária e regional com a transparência, integridade e regularidade de todos seus processos.

Continue Reading

Especial

O evento mais recorrente na vida do Trapiche

Publicado

on

Prefeitura informa que o Trapiche do Laranjal foi requalificado (foto).

Eis o evento mais recorrente na vida do nosso trapiche: ser recuperado com dinheiro privado da construção civil.

Trata-se de um evento de calendário: a cada bloco de meses, alguém aparece para bancar a obra, uma boa nova sempre estimada pela prefeitura.

O corte da fita no dia da inauguração é uma metáfora reversa. Na verdade, ao passar a tesoura, os parceiros na serial empreitada estreitam os laços entre si.

É compreensível a serialidade da obra. Muitos projetos na fila.

Dessa feita, não houve a animação de pandeiros nem churrasco.

Publicidade

Trapiche do Laranjal

Continue Reading



Publicidade
Publicidade

Mais lidas em três dias