Adoráveis mulheres

Inspirado no livro homônimo de Louisa May Alcott e adaptado diversas vezes tanto para o cinema e televisão, quanto para musicais e teatro, Adoráveis Mulheres ganha uma nova versão dirigida e roteirizada pela fantástica Greta Gerwig, em um dos melhores filmes da temporada, indicado a 6 Oscars.

A clássica história se passa no período da Guerra Civil Americana e acompanha a transição da adolescência para a vida adulta das quatro irmãs da família March: Jo (Saoirse Ronan), Amy (Florence Pugh), Meg (Emma Watson) e Beth (Eliza Scalen). Com personalidades completamente diferentes, elas enfrentam os desafios de crescer unidas pelo amor que nutrem umas pelas outras.

Após o sucesso de Lady Bird, Greta Gerwig entrega mais um filme recheado de personagens femininas fortes. O respeito pelas personalidades das protagonistas, a valorização das memórias afetivas e os planos intimistas fazem com que o espectador se envolva ainda mais com as personagens. Ao revisitar um clássico com mais de 150 anos sob uma ótica moderna, o longa pode ser visto como um manifesto feminista, evidenciando o poder das mulheres na sociedade, no trabalho e na família.

A narrativa não-linear é um dos grandes destaques da produção. Dividindo-se em duas linhas temporais, as trajetórias que envolvem as quatro irmãs são apresentadas através das lembranças de Jo. A excelente edição impressiona, assim como o design de produção, um grande aliado da montagem. Sem precisar de recursos didáticos, o filme se apoia no figurino, na fotografia e na direção de arte para demarcar os diversos períodos na vida de seus personagens, sem precisar diminuir o ritmo entre as cenas. A fotografia de Yorick Le Saux alterna entre um passado colorido e um presente pouco saturado, em uma considerável leveza de tom, amparada pela trilha sonora do magnífico Alexandre Desplat.

Com um elenco simplesmente espetacular, Adoráveis Mulheres é comandado pela talentosa Saoirse Ronan, que aos 25 anos de idade, conquistou sua quarta indicação ao Oscar. Ao lado da excelente Florence Pugh, também indicada ao Oscar, elas brilham em cena, em especial no triângulo amoroso formado por Jo, Amy e Laurie, vivido por Timothée Chalamet. Embora tenham menos destaque na trama, Emma Watson e Eliza Scalen são fundamentais para a história, assim como a mãe Laura Dern e o pai, ausente por estar na Guerra, interpretado por Bob Odenkirk. Também entre os coadjuvantes vimos os ótimos Chris Cooper e Louis Garrel, além da maravilhosa Meryl Streep.

Adoráveis Mulheres é a adaptação definitiva e essencial da obra de Louisa May Alcott. Mesmo esnobada (novamente) ao Oscar de direção, Greta Gerwig leva o público a refletir sobre a posição da mulher na sociedade, não só a do século XIX, em alguns temas ainda presentes nos dias de hoje.

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.