Prefeitura decreta racionamento de água

Decreto de restrição do uso da água, a ser publicado no Diário Oficial na segunda-feira (24) e a entrar em vigor na quarta-feira (26), proíbe o uso indiscriminado da água.

Não será permitido lavar automóveis e calçadas, bem como molhar gramados e jardins, enquanto não houver recuperação de água bruta no principal manancial da cidade – a barragem do Santa Bárbara, cuja régua de medição acusa 1,94 metro abaixo do nível normal.

A medida foi anunciada na manhã desta sexta-feira (21), em entrevista coletiva à imprensa, pelo diretor-presidente da autarquia, Alexandre Garcia, acompanhado pelo prefeito em exercício, Idemar Barz, e por equipe técnica e de assessoria da autarquia. Pelotas conta com quatro Estações de Tratamento de Água (ETAs): Quilombo, Moreira, Sinotti e Santa Bárbara. A reserva comprometida é a do Santa Bárbara.

“Não trabalhamos com a opção do racionamento. Não há falta de água bruta em Pelotas. O que existe é uma grande perda de reserva na barragem do Santa Bárbara, que é responsável pelo abastecimento de 60% da cidade. Com as medidas adotadas, esperamos estabilizar a situação”, afirmou Garcia.

Fiscalização

O descumprimento do Decreto pode acarretar a penalidade da suspensão do abastecimento de água para o responsável pela infração.

Além das equipes de fiscais do Sanep, qualquer cidadão pode denunciar o uso irregular de água, por meio das redes sociais, dos telefones (53) 3026-1144 ou 115, ou, ainda, diretamente na sede da autarquia, na rua Félix da Cunha, 653.

Medidas imediatas

Ações suspensas, temporariamente, pelo Sanep

  • Novas ligações de água.
  • Obras de extensão de redes no Sítio Floresta.
  • Obras da adutora na rua Guilherme Wetzel.
  • Obras da subadutora no Balneário dos Prazeres.

Com a paralisação desses serviços, as equipes se somarão à força-tarefa de consertos dos vazamentos em redes da cidade, com o objetivo de cessar perdas. Turma do Departamento de Esgoto e mais duas contratadas reforçarão as atividades. Ao todo, junto com os cinco grupos de funcionários, que já atuam em vazamentos, 11 integrarão o mutirão.

O ponto fixo de captação de água bruta na barragem está com a capacidade esgotada. O Sanep passou a captá-la em ponto flutuante. O plano de ação incluiu a aquisição de dois mangotes de 10 metros, que permitirão avançar o dobro da distância de origem em local mais profundo. O sistema será utilizado, caso persista a situação de estiagem.

De imediato, os chuveiros disponíveis no Laranjal serão desligados, até que as reservas hídricas voltem ao normal. O nível do manancial da barragem pode ser acompanhado por qualquer cidadão, pelo endereço undefined, onde constam os números atualizados diariamente.

Falta de chuva

O Sanep apresentou à imprensa um comparativo pluviométrico de janeiro e fevereiro de 2019 e 2020. Em janeiro do ano passado, choveu 352 milímetros. Neste ano, 15 milímetros. Em fevereiro de 2019, 119,5 milímetros. No mesmo mês, neste ano, 43 milímetros até agora, que foram suficientes para cessar a evaporação nos dois dias com chuvas, mas insuficientes para repor qualquer centímetro de água na barragem.

A transposição de água do arroio Pelotas para a barragem é a medida extrema cogitada, caso a situação se agrave ao ponto de não deixar alternativas. “Temos informações de que, a partir do final da primeira quinzena de março, o Município receberá chuvas mais significativas”, disse Garcia, com expectativa quanto à normalização do atual quadro.

O prefeito em exercício, Idemar Barz, agradeceu ao diretor-presidente do Sanep pelos esclarecimentos, reforçou pedido de apoio à imprensa, quanto à divulgação, e a colaboração da população, quanto ao uso consciente da água, evitando desperdícios.

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.