Do natural ao sobrenatural. Por Neiff Satte Alam

“A natureza é o ambiente em que se desfaz o mistério”

O mistério e o sobrenatural andam de mãos dadas desde os primórdios da humanidade. A incompreensão relativa a fenômenos que não podiam ser explicados em razão dos parcos conhecimentos sobre a natureza, fez com que o homem primitivo tornasse sobrenatural muitos fenômenos que hoje são perfeitamente explicados, alguns até parecendo inconcebível não haver entendimento sobre eles no passado.

Quando o homem pré-histórico se encolhia no fundo das cavernas, amedrontado pelos barulhentos e chamejantes raios que iluminavam suas noites de tempestade, temia os impulsos que entendia sobrenaturais, mistérios incompreendidos pela seu reduzido conhecimento destes fenômenos que hoje são tão clara e simplesmente explicados pela física.

O avanço exponencial da ciência vai colocando os mistérios, que envolvem e por vezes amedrontam os homens, como simples enunciados e fórmulas científicas que podem ser perfeitamente absorvidas.

O que seria misterioso ao homem do século XVIII, como o simples entendimento de que a Terra gira em torno do Sol, por exemplo, hoje é uma lição para crianças que ainda não se alfabetizaram, mas nos séculos passados tornaram os homens que assim pensavam em amigos do demônio e inimigos de Deus. A Inquisição, por exemplo, defendia a manutenção dos mistérios que envolviam as leis naturais desde a origem da Terra até os mais simples mecanismo de perpetuação da espécie humana.

Na medida em que a natureza começou a ser melhor entendida e o avanço do conhecimento científico atingiu e explicou os mistérios que assombravam o homem, estes foram se desfazendo. Naturalmente não terminam aí os mistérios, pois a necessidade de busca do impossível, do sobrenatural, é a energia que move a curiosidade do homem e alimenta a imaginação do cientista: explicar o inexplicável!

A natureza não tem dimensão definida, pois se amplia de acordo com a ampliação do conhecimento que o homem tem sobre ela; transformando o sobrenatural em natural; fazendo com que os mistérios se transformem em leis naturais. Seria mais ou menos como se fossemos lentamente invadindo o espiritual com o material.

Desfazendo os mistérios que nos assombram e atropelando dogmas religiosos com a evolução do conhecimento científico, contrariamente ao que se poderia pensar, estamos ampliando os mistérios que vão surgindo em razão de nossas dúvidas geradas pelo próprio conhecimento.

Os mistérios, assim, vão se alimentando de sua própria destruição e, paradoxalmente, alimentando a natureza das coisas antes sobrenaturais e, por si só, mistérios a serem desvendados.

Quando, e se, chegássemos a desvendar todos os mistérios do Universo, não nos restaria outra saída que não fosse a de retornar aos tempos primitivos, apagar com uma borracha cósmica todo o conhecimento para que a vida tivesse sentido, o sentido da descoberta permanente e da crença no sobrenatural.

© Neiff Satte Alam é professor Universitário Aposentado – UFPEL Biólogo e Especialista em Informática na Educação

Facebook do autor

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.