Covid-19 e Lockdown. Vida ou emprego? Por Fabiano de Marco

Quem é mais nocivo à sociedade? O corrupto ao se beneficiar de uma quantia ou o homicida ao atirar na vítima?

O primeiro é discreto, o segundo chocante. Um reduz verba na saúde, o outro subtrai a vida. Pelo que andei lendo (Misbehaving, Richard Thaler) sobre economia comportamental, tendemos a subestimar os efeitos da corrupção e superestimar os do homicídio. Sentimos a perda até mesmo de uma pessoa desconhecida e exercemos empatia por seus familiares.

Já na hipótese da corrupção, reconhecemos os prejuízos, mas não conseguimos senti-los, pois não nos é evidenciado quem deixou de ser atendido e quais os danos sofridos. Estas falhas (misbehavior) de percepção se devem às nossas limitações cognitivas, em especial a incapacidade de pensarmos exponencialmente.

O dilema provocado pelo COVID-19 guarda semelhanças com o exemplo anterior e a economia comportamental pode nos trazer luz diante da enxurrada de opiniões a que fomos submetidos. O que é mais importante neste momento? A economia ou a saúde?

Evitar a redução no PIB e nas taxas de emprego ou combater a disseminação do vírus e a mortalidade? Lockdown horizontal ou vertical?

Nos comovemos pela perda dos idosos italianos e brasileiros, assistimos velórios vazios, caminhões do exército e ruas desertas. Mas não sentimos a redução no PIB e na taxa de desemprego, não enxergamos onde o dinheiro faltará, tampouco as consequências na vida de quem for afetado.

Emprego e PIB são anônimos e invisíveis. Estaríamos limitados pela nossa capacidade cognitiva e mais uma vez subestimando um dano e superestimando o outro?

É certo que todos valorizamos a vida, mas até o momento não encontrei texto ou pronunciamento consistentes a ponto de mensurar e ponderar recomendações de saúde, economia, geopolítica e comunicação. Certamente há uma resposta certa, resta saber se descobriremos a tempo.

1 thought on “Covid-19 e Lockdown. Vida ou emprego? Por Fabiano de Marco

  1. Ótima reflexão. Colaboro com os seguintes aspectos… A Italia possui população idêntica a província de Hubei 60milhoes/58milhões, Wuhan capital e epicentro 11Milhões, ambas no hemisfério norte (inverno/primavera). População idosa, em ambos países é grande. Sistema de saúde, penso da Italia ser melhor. Observando os números, existem muitas diferenças (contaminação/mortes – taxa mortalidade). Neste raciocínio, pesa, o fato da China ser contumaz mentirosa e pode haver muito mais contaminados e mortos. Mas não podemos negar o fato, que a contaminação chegou naquele ponto de equilíbrio e controle auto-imunológico, tanto, que já abriram a cidade, a província e voce pode viajar para lá! O que isto significa? O comportamento do Vírus é igual aos demais e isto se repetirá no ocidente, quando cada pais chegar ao equilíbrio, contaminação e auto-imunidade. Mas e dai? Dai, as autoridade, científicas sem viés ideológico e sem os políticos, precisam tranquilizar a nação e garantir, em breve voltaremos a normalidade, e as atividades não essenciais, podem e devem começar a ser flexibilizadas, sempre é claro, preservando os idosos e pessoas com problemas crônicos. Infelizmente o pais está enterrado em discussões ideológicas tão nefastas como este vírus e realmente o emprego PIB, anônimos, por enquanto, apresentarão a conta em dois três meses. Por favor, acordem, e evitem o pior! Deus os abençoe.

Obrigado por participar. Comentários podem ter a redação moderada.