Carreata de bolsonaristas locais pela reabertura do comércio corre o risco de ser barrada pela justiça

Em resposta à ação do MP do Rio, a Justiça proibiu a realização de uma carreta contra o isolamento para conter o avanço da contaminação pelo coronavírus, prevista para acontecer às 10h deste sábado.

A concentração do evento, que fazia parte da campanha “O Brasil não pode parar”, do Governo Federal, foi no estacionamento de um supermercado na Barra de Tijuca, e os carros partiriam em direção ao Palácio Guanabara.

A decisão, da juíza Lívia Bechara de Castro, prevê multa por descumprimento de R$ 50 mil.

Esta decisão de Justiça, e a que proibiu o governo federal de adotar medidas contrárias ao isolamento social, podem ter reflexos no Judiciário pelotense.

Por exemplo, Bolsonaristas de Pelotas preparam uma carreata para a próxima segunda-feira (30), pela reabertura do comércio, que foi parcialmente fechado por decreto da prefeita Paula.

Abaixo, o card da convocação, sem os nomes dos organizadores. Há referência apenas à Página Pelotas Livre, onde a carreata foi divulgada.

Não são os empresários da Aliança Pelotas os organizadores. Estes cogitaram uma carreata, mas desistiram.

CARREATA É CANCELADA

Justiça Federal proíbe Bolsonaro de estimular fim do isolamento social

Obrigado por participar. Comentários podem ter a redação moderada.