Bolsonaro descontextualiza declaração da OMS e incita apoiadores

O presidente Bolsonaro incitou apoiadores a criticar a imprensa, na entrada do Palácio da Alvorada, na manhã desta terça-feira (31), após destacar trecho de pronunciamento do presidente da Organização Mundial de Saúde (OMS). Bolsonaro diz que, segundo a OMS, o discurso da OMA se afina com o seu discurso sobre o enfrentamento ao covid-19.

Bolsonaro aventou a possibilidade de convocar novamente cadeia nacional de rede de TV nesta noite para comentar a fala do diretor-geral da entidade, o etíope Tedros Adhanom Ghebreyesus. Ontem, Tedros citou a preocupação com pessoas isoladas em lugares mais pobres do mundo que têm que trabalhar diariamente para ganhar o “pão de cada dia”.

“Deixa eu falar aqui. Não se esqueça que eu sou o presidente. Vamos seguir a orientação da OMS. A OMS falou o quê? O que é que o diretor-presidente falou? Que esse povo humilde fica o dia todo na rua para levar um prato de comida à noite em casa. E ele falou que era africano, sabe o que é passar dificuldade. A fome mata mais do que o vírus”

Bolsonaro distorce o que disse o presidente da OMS. Ele defendeu o isolamento social e lembrou da dificuldade que muitas pessoas vivem. Ou seja, ele defendeu proteção social a essas pessoas, não a flexibilidade do isolamento.

Obrigado por participar. Comentários podem ter a redação moderada.