Farmácia municipal sofre com filas. Distribuição do serviço pelas UBS não seria melhor?

RBS Tevê mostrou no jornal da manhã desta quarta-feira (8) a desorganização da Farmácia Central Municipal. As pessoas formam filas imensas para pegar medicamentos, sem respeitar a distância mínima de dois metros.

No governo Leite, houve uma tentativa de melhorar o sistema, sem mágica ou derramamento de recursos financeiros – sem onerar o erário -, ao contrário, trazendo, além de melhores serviços, economia.

O sistema, que desconcentrava a distribuição da farmácia central, chegou a ser implantado. Chamava-se Farmácia Distrital, funcionava na UBS. Um sistema piloto funcionou na UBS Bom Jesus, chamava-se Rede Bem Cuidar.

 As pessoas consultavam ali mesmo na UBS e recebiam os medicamentos.

O sistema, devolvido por programadores da própria prefeitura, controlava o estoque de forma distribuída (farmácia central e distritais/estas na UBS), disponibilizava inclusive, via aplicativo, a consulta e a disponibilidade.

Até o carroceiro tem celular, usa a internet; senão ele, o filho, o vizinho…

Com o sistema, as pessoas não precisavam se deslocar até a farmácia central. Bastava que fossem até a UBS para retirar os medicamentos.

O trabalho piloto durou 13 meses. Uma vez aplicado e melhorado, seria implantado em toda a cidade. Mas foi abandonado, ainda no governo Leite.

O governo preferiu continuar recolhendo um caminhão ou caminhonetas de remédios vencidos por mês (média real) no lixo!

Hoje, o jornal da RBS mostra o caos na farmácia central; as pessoas, que antes podiam retirar os medicamentos, ou, após consulta, saírem lá com os medicamentos em mãos, não podem mais.

Sem essa possibilidade nas UBS, hoje entopem a farmácia central.

Via projeto piloto se implantou mais coisas:

Consultório específico para consulta com psicólogo, educador físico, cozinha comunitária, agente comunitário equipado, software de prontuário conectado remotamente à UBS, 3G, novo padrão e organização de prontuários, acolhimento na sala de espera (totem, ar condicionado, sistema de agendamentos de atendimento, horta comunitária etc.

Havia ainda parque para as crianças, academia ao ar livre, implementação de equipe odontológica.

Infelizmente, uma boa parte disso tudo parece que se perdeu.

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.