IFSul desenvolve aplicativo para orientações de Coronavírus

Um professor do Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSul), Timóteo Matthies Rico, desenvolveu um aplicativo voltado ao envio de mensagens sobre prevenção e cuidados relacionados ao Coronavírus para a população da região sul do estado.

Operacionalizado em parceria com o Hospital Escola da UFPel, o aplicativo, batizado de SMStopCorona, envia diariamente mensagens personalizadas sobre saúde para todos os usuários cadastrados no sistema.

Dentre as informações passadas pelo aplicativo estão orientações sobre a prevenção ao Coronavírus, assim como cuidados para a recuperação de possíveis infectados. Elaboradas por uma equipe multiprofissional do Hospital Escola, as orientações seguem as recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde.

As temáticas são diversas: higiene, lazer, isolamento social, cuidados clínicos e atividade física são só alguns dos assuntos abordados. Para se cadastrar e receber o conteúdo diariamente, basta preencher o formulário disponibilizado nos sites do IFSul e do HE-UFPel.

Informação e praticidade

Ao contrário de muitas tecnologias disponíveis hoje para smartphones, o serviço de envio de mensagens desenvolvido pelo IFSul não requer que o usuário faça nenhum download em seu celular.

Tomóteo, que é professor do campus avançado Jaguarão, explica que o aplicativo funciona como um robô: nele, são cadastradas as mensagens que serão enviadas e também todas as pessoas que querem receber as mensagens. A partir disso, o aplicativo envia automaticamente o conteúdo personalizado por SMS.

Junto com o professor do IFSul, responsável pelo desenvolvimento do aplicativo, uma equipe do HE participou do projeto elaborando o conteúdo das mensagens, por meio de uma parceria com a Gerência de Ensino e Pesquisa do hospital.

Experiência já testada com outra doença – e aprovada

A ideia de levar informação para as pessoas de maneira fácil e prática é realmente muito apropriada para a crise de saúde pública que se instaurou com o Coronavírus. Mas a iniciativa do aplicativo, segundo o professor, já colhe frutos de um outro trabalho realizado por ele, mas, à época, voltado a outra doença. Doutor em Ciências da Saúde e com mestrado e graduação na área da Computação, o docente reuniu esses dois campos de conhecimento em sua tese de doutorado, desenvolvendo um estudo enviando mensagens SMS com orientações para ajudar a prevenir efeitos colaterais em pacientes oncológicos que estavam em tratamento contra o câncer.

“Os resultados foram promissores. Por exemplo, as pessoas que receberam as orientações via SMS apresentaram menos efeitos colaterais dos que os pacientes que não receberam as mensagens”, conta o docente, dizendo que a experiência bem-sucedida serviu de inspiração para a iniciativa de desenvolver um app similar voltado à pandemia de Covid-19.

Por ter entrado em funcionamento nessa semana, a ferramenta ainda não pode ter seus impactos avaliados, mas, segundo Timóteo, o projeto desenvolvido com os pacientes oncológicos anos atrás teve um feedback muito positivo, pois as pessoas se sentiam lembradas, apoiadas, acolhidas e bem orientadas por meio das mensagens recebidas.

E por acreditar no poder da informação precisa e embasada cientificamente, o docente não apenas tem a expectativa de que milhares de pessoas na região sul se cadastrem, como também vê no projeto um potencial ainda maior. “Acredito que esse projeto seja inovador em nível nacional. Deste modo, a ferramenta poderia ser utilizada em todo o país, beneficiando milhões de pessoas”, avalia.

Além das orientações confiáveis e personalizadas, o conteúdo também traz outra importante característica, especialmente em tempos de isolamento social: as orientações clínicas são mescladas com palavras de ânimo, carinho e estímulo, fazendo do acolhimento mais um aliado da população no combate ao vírus.

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.