Leite anuncia corte do próprio salário

O governador Eduardo Leite (PSDB) comunicou o corte de 30% no próprio salário, pelos próximos três meses, em transmissão ao vivo, nesta sexta-feira (10).

“Nos próximos três meses, estarei abrindo mão, reduzindo a minha própria remuneração em 30%, que é o que projetamos de queda na arrecadação do estado”.

Disse também que orientou os secretários do estado a também reduzirem os próprios salários.

“Há um princípio de irredutibilidade dos salários da administração pública e, por isso, eu não posso determinar a redução dos salários aos servidores e mesmo à equipe de trabalho. Mesmo assim, tomei uma decisão pessoal, que recomendei ser seguida por nossos secretários, como gestores públicos”.

Abaixo, o anuncio no site do Piratini:

Ao tomar decisões que impõem a restrição de atividades comerciais, o governo do Estado está ciente de que empresários, lojistas e comerciantes serão afetados economicamente. Desde então, o Executivo tem anunciado medidas para prestar auxílio aos empreendedores. Ciente do sacrifício da população no combate ao coronavírus, o governador Eduardo Leite anunciou, na manhã desta sexta-feira (10/4) em transmissão ao vivo, que reduzirá a própria remuneração em 30% pelos próximos três meses.

“A atividade econômica se reduz e isso vai impor dificuldades para muitas pessoas, que terão seus negócios prejudicados e seus empregos afetados. Não considero justo que aqueles que servem à população fiquem imunes a essas dificuldades. Não se trata de demagogia, é uma questão objetiva. A sociedade está pagando com o custo econômico da sua própria atividade, e estamos todos em uma mesma situação que impõe medidas de sacríficos pessoais”, esclareceu Leite.

A medida acompanha a própria queda de arrecadação do Estado. A Secretaria da Fazenda projeta, para o mês de abril, queda de 30% a 35% na arrecadação, tendência que deve se estender pelos meses de maio e de junho. Na quinta-feira (9/4), o governador expôs esse cenário aos deputados estaduais e os chefes dos Poderes, dando transparência sobre o assunto ao avisar que, possivelmente, a queda na receita do Estado impactará negativamente no repasse dos duodécimos.

Na administração econômica, há um princípio de irredutibilidade de salários. Por isso, o chefe do Executivo não pode determinar a redução do salário de servidores. No entanto, recomentou que o secretariado tome a mesma atitude, de modo a dar o exemplo como gestores públicos. Os valores serão devolvidos ao caixa do Estado e poderão ser utilizados em ações de combate ao coronavírus.

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.