Pandemia é oportunidade de pôr fim à polarização política

Na semana passada, no Skype, meu querido amigo Pedro Doria comentou, e eu concordei, que a pandemia é a melhor oportunidade para que o Brasil supere a polarização e se una contra a ameaça comum.

Até agora, temos desperdiçado a oportunidade. Pelo contrário, conseguimos o prodígio de polarizar e politizar absolutamente tudo o que se refere à pandemia — a doença em si (é gripezinha ou não é?), a (falsa) dicotomia entre o combate às mortes ou à recessão, o isolamento social, a cloroquina. Até o presidente e o ministro do mesmo governo representam polos opostos. Estamos viciados em um pensamento raso e binário.

Existem coisas mais importantes do que as divergências políticas: quem somos, a saúde daqueles que amamos (mesmo quando pensam diferente de nós), o futuro do país.

A Páscoa (“passagem”) era, originalmente um rito para celebrar o fim do inverno e a primeira colheita da primavera. No Velho Testamento, marca a décima praga do Egito, que leva à libertação dos hebreus. No Novo Testamento, comemora a ressureição de Jesus Cristo.

Primavera, colheita, libertação, ressurreição. Deus queira que, em breve, entendamos que esta provação que estamos vivendo, tão difícil, é nossa melhor chance para darmos as mãos e deixarmos velhos ressentimentos para trás.

Boa Páscoa para você e para sua família.

© Ricardo Rangel

Face do autor

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.