Estimativa é de que 5% da população precisará de atendimento, diz médico

Em vídeo publicado mais cedo, hoje, o cardiologista Roberto Kalil, médico experiente que adoeceu por covid-19, diz que 5% da população brasileira vai precisar de internação (veja vídeo e afirmação – AQUI).

A porcentagem que Kalil fala, 5%, bate com o que me estima o Comitê da UFPel para o Covid – para Pelotas.

Como Pelotas tem 340 mil habitantes, aplicando a porcentagem de modo linear, em tese 12 mil pelotenses podem precisar de atendimento. Parece exagerado, mas é o número com que trabalham, mesmo de Kalil, por causa das características de clima da região. A incidência é incerta, porém.

Projeções

As projeções são de que o coronavírus atinja de 40 até 70% dos pelotenses. Até 243 mil pessoas dos 340 mil habitantes, portanto. 80% desses 243 mil habitantes teriam sintomas leves, superáveis sem socorro. Dos 20% restantes, uma parte seria assintomática, pegaria o vírus, mas não apresentaria sintomas; outra parte apresentaria quadro moderado, entre leve e grave. Os casos que requereriam internação atingiriam 5% dos 243 mil habitantes, as 12 mil pessoas.

Leitos

Pelotas tem 57 leitos públicos de UTI, daí o governo federal cogitar um cenário em que precisará estatizar temporariamente hospitais privados. Pelotas não fala nessa possibilidade, mas já prepara uma hospital de campanha no ginásio do Sesi.

O problema é a taxa de ocupação. Os leitos dos hospitais públicos têm taxa de 90% de ocupação.

Se as UTIs fossem atender só pacientes com coronavírus, o problema seria menor. Mas já atende pacientes com outras doenças, cuja frequência se manterá. Daí a necessidade de novos leitos emergenciais, como o hospital de campanha.

Daí também a importância do isolamento social, para minimizar o cenário acima.

FIQUE EM CASA!

Vídeo: Dr. Roberto Kalil fala sobre como é ter covid-19 e alerta para isolamento

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.