UFSM divulga nota de preocupação com flexibilização no RS

Confira a íntegra da nota:

Vimos demonstrar nossa preocupação quanto à flexibilização do isolamento social no enfrentamento da epidemia da Covid-19 no Rio Grande do Sul.

As regras para testagem de casos do Ministério da Saúde, diante da quantidade reduzida de testes disponíveis, dirigem-se aos casos mais graves e a profissionais de saúde. Assim, os números apontados nas estatísticas oficiais referem-se, na maioria, a estes, não englobando uma quantidade muito maior de casos notificados como “suspeitos”, mas que geralmente não são testados.

Segundo boletim da Prefeitura Municipal de Santa Maria de 14 de abril, são 15 casos confirmados contra 559 suspeitos (residentes na cidade). Os dados da primeira fase de coleta da pesquisa sobre a prevalência populacional de infecção no RS demonstram o contato com o vírus há 15 dias. No entanto, a situação atual de circulação do vírus só será conhecida no inquérito que será realizado daqui a 15 dias.

É preciso lembrar que estamos entrando no inverno, com redução brusca da temperatura no estado, época em que as doenças respiratórias apresentam maior incidência. Desconhecemos qual será o comportamento do novo coronavírus neste clima, mas é muito provável que a situação se agrave, pois o vírus encontrará um ambiente favorável à maior propagação, diante de ambientes fechados e pouco ventilados.

Por estes motivos, ainda recomendamos a manutenção do isolamento social como melhor estratégia para o enfrentamento da epidemia, redução do número de casos e mortes causadas pelo Coronavírus.

Marinel Mór Dall’Agnol, Laboratório de Epidemiologia, Departamento de Saúde Coletiva, UFSM, professora, médica, epidemiologista.
Rosangela da Costa Lima, Laboratório de Epidemiologia, Departamento de Saúde Coletiva, UFSM, professora, médica, epidemiologista.

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.