Prefeitura diz: “Paula não considera que decreto seja uma flexibilização”

Da prefeitura : A prefeita Paula Mascarenhas voltou a conversar com a população e a imprensa, na tarde desta quarta-feira (22), pela internet, a respeito do novo decreto da Prefeitura que autoriza a retomada gradual e controlada do comércio a partir desta quinta (23), como anunciado na semana passada.

Paula assinalou que o dispositivo legal não tem o intuito de flexibilizar as medidas de contenção adotadas até então, muito menos de desestimular as práticas de distanciamento e higiene incentivadas pelos órgãos e especialistas de saúde, mas sim, de regulamentar todas as atividades que envolvem a movimentação de pessoas na cidade – inclusive as dos serviços essenciais.

O reinício das atividades comerciais em Pelotas acontece um mês e três dias após o decreto do seu fechamento, assinado em 20 de março, que manteve em funcionamento apenas os serviços essenciais.

Exigência de protocolos de todos os setores

Um dos principais acréscimos trazidos pelo Decreto 6.267, registrou a prefeita, é a obrigatoriedade do uso de máscara para acessar e permanecer em qualquer estabelecimento ou prática de atividades por parte dos profissionais, clientes, consumidores, pacientes e frequentadores, visando evitar a contaminação e o contágio do coronavírus.

“Estamos permitindo a retomada gradual das atividades comerciais, mas impondo inúmeras restrições e as estendendo para todos os segmentos, com regramentos específicos para cada um deles”, argumentou.

O decreto, que conta com 66 artigos e 28 páginas, detalha todos os procedimentos que devem ser adotados a partir de quinta-feira, considerando as características de cada prática comercial, como indústrias, farmácias, supermercados, salões de beleza, padarias, agências bancárias, lotéricas, feiras livres e ferragens.

Município pode endurecer restrições de novo

A prefeita frisou que, na próxima semana, o cenário em Pelotas voltará a ser analisado, considerando o comportamento da população e das empresas em relação ao cumprimento das regras, bem como, a possível evolução da doença na cidade. Portanto, ela não descarta a possibilidade de precisar endurecer as medidas. Até a tarde desta quarta, 18 casos da Covid-19 foram confirmados no Município – 11 estão recuperados, cinco permanecem em isolamento domiciliar e dois continuam internados em Porto Alegre).

“Dependendo de como a cidade vai reagir a esta alteração nos próximos dias, podemos restringir mais ou menos as medidas. O resultado da segunda fase da pesquisa da Universidade Federal de Pelotas [a primeira identificou um caso positivo entre 500 testados] também vai ajudar nessa reavaliação”, ponderou Paula, que voltou a embasar sua decisão em conversas com especialistas da área da saúde e com representantes dos segmentos da sociedade.

Pelotas ainda não venceu o coronavírus

A prefeita salientou que vem buscando encontrar consensos mínimos para que a cidade possa avançar no enfrentamento da doença e deste “inimigo invisível”, segundo ela. “A Prefeitura faz esse ‘distensionamento’ na expectativa de que empregos possam ser preservados e de que menos pessoas sintam os reflexos indiretos da pandemia. Mas isso não pode implicar a mudança de hábitos e de precaução das pessoas. Pelotas ainda não venceu o coronavírus”, alertou.

A consciência da população e sua colaboração continuam sendo peça essencial neste combate, lembrou Paula, assim como a fiscalização, que será intensificada a partir de amanhã. A gestora pediu sensibilidade dos empresários para que não abram as portas enquanto não possuírem os itens que respeitem integralmente o que preconiza o decreto para seu segmento comercial.

Também solicitou calma à população para que procurem o centro comercial apenas se realmente necessário, evitando a formação de aglomerações nos locais. “Não vamos admitir desvios de conduta e desobediência ao decreto, justamente, para que nossa estratégia dê certo”, defendeu.

Aulas seguem suspensas

Paula ressaltou que as aulas na rede municipal seguem suspensas e que o Município busca alternativas para ampliar o número de leitos de enfermaria e de UTI na cidade, portanto, a aquisição de respiradores – aparelhos indispensáveis para casos graves – continua sendo tratada como prioridade.

Além dos cinco adquiridos neste mês (um portátil para o Samu), que foram direcionados ao Centro de Atendimento a Síndromes Gripais, outros oito equipamentos estão sendo comprados, através de recursos destinados pela Câmara de Vereadores.

Ampliação do número de leitos

A expectativa é de que dentro de um mês e meio, sejam disponibilizados 90 leitos de UTI exclusivos para pacientes de Covid-19 em Pelotas, contando ainda com a chegada de 20 respiradores prometidos pelo Ministério da Saúde.

“Nos ajudem para que o município não precise retroceder, para que possamos dar passos lentos, mas graduais e seguros a fim de vencer esta pandemia, respeitando o que diz a ciência. Temos uma semana para provar que Pelotas pode fazer isso”, finalizou a prefeita, pedindo a colaboração dos pelotenses.

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.