Patrões de rapaz que morreu na UPA Areal contratam exames para familiares

Escute a notícia

A empresa onde trabalhava o pernambucano de 34 anos que morreu nesta sexta (8), na UPA Areal, com síndrome respiratória, a Eklipse Alimentos, decidiu mandar fazer exames nos familiares do rapaz e em colaboradores que trabalhavam com ele.

A coleta foi realizada na manhã de hoje, informa o jornalista Edson Planella, primeiro a dar a notícia.

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.