UFPel: Cocepe analisa nesta 6ª nova proposta de Calendário Alternativo

A Gestão da UFPel apresentou, no começo da tarde desta quinta-feira (21), em live pelo facebook, uma nova proposta de Calendário Alternativo para a Universidade, que prioriza a oferta de componentes optativos, mas que possibilita a realização de disciplinas obrigatórias, dependendo dos casos, como de concluintes. A proposta, que projeta dez semanas de trabalhos remotos, a partir de 8 de junho, foi desenhada considerando milhares de sugestões vindas da comunidade universitária. O Cocepe (Conselho Coordenador do Ensino, da Pesquisa e da Extensão) da UFPel analisa a proposta a partir das 9h desta sexta-feira (22), através de reunião virtual, que terá transmissão ao vivo.

A proposta está sendo chamada de Atividades Remotas Emergenciais e visa, além de manter os estudantes próximos da Instituição e da realização dos trabalhos acadêmicos necessários, preparar, de alguma forma, os professores para uma possível nova fase seguinte, que poderá ser deflagrada a partir de setembro. Esta etapa, presencial, será diversa do que vinha sendo realizado, pois poderá ser híbrida e exigirá adequações de estrutura e configuração, em função das medidas de proteção que ainda serão necessárias.

Diferente do que propunha a primeira proposta de Calendário, as matrículas já realizadas para este semestre ficam mantidas, ficando apenas suspensas, e não mais canceladas. Em caso de aprovação da nova ideia, os estudantes poderão se matricular nas matérias optativas ou obrigatórias de modo especial. O período, conforme explicado pela pró-reitora de Ensino, Fátima Cóssio, não conta tempo para jubilamento.

Conforme o reitor Pedro Hallal, a curva da Covid-19 ainda está longe de entrar em declínio, portanto havendo a necessidade da implantação de medidas que apresentem soluções à situação. Ele ressaltou o fato de que, somente vindas dos alunos, foram mais de sete mil sugestões para o segundo projeto de Calendário. “Todas as sugestões foram cientificamente analisadas, sistematizadas e discutidas, resultando no quê apresentamos agora”, observou Hallal.

O vice-reitor Luís Amaral, na live, sublinhou o debate livre que ocorrerá no Cocepe e a necessidade de a UFPel efetivamente oferecer atividades em seguida, antes que seja possível o trabalho presencial, estimado para retornar em pouco mais de três meses.

“O Calendário continua sendo alternativo”, reforçou a pró-reitora de Ensino. Entre os recursos que poderão ser usados está a Plataforma Moodle. Fátima Cóssio informou que as avaliações ocorreriam no fim do Calendário. “Hoje, 80% das universidades federais estão com propostas semelhantes à nossa”, afirmou.

Pela proposta, ficará criado o Comitê UFPel Digital, encarregado de auxiliar professores, estudantes e técnicos nas atividades.

Pós-Graduação

Também presente na live, o pró-reitor de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação, Flávio Demarco, disse que para a pós-graduação a ideia é também do Calendário Alternativo, com atividades remotas. “Quase todos os programas de pós-graduação manifestaram-se a favor da proposta”, lembrou. Ele considerou que, em sendo ano final da avaliação quadrienal da Capes, não há como não oferecer atividades, já que o órgão informou que não haverá prorrogação de prazos.

Sisu e Pave

Conforme a pró-reitora de Ensino, assim que for aprovado o novo Calendário, a UFPel realizará as quartas chamadas do Sisu e do Pave.

Obrigado por participar. Comentários podem ter a redação moderada.