Obstetra é agredida na sala de parto do Hospital Escola

Escute a notícia

Uma médica obstetra foi agredida dentro do Hospital Escola da UFPel, na sala de partos, enquanto trabalhava, nesta sexta-feira (29). Ela diz, no face, que sofreu socos na cabeça e voadoras do marido de uma paciente gestante.

A médica escreveu também:

“Em 22 anos de obstetrícia, nunca passei por uma falta de respeito tão grande como essa! Marido armado na sala de partos me agride com voadoras e socos na cabeça. A que ponto chegamos? B.O e corpo de delito feito. Agora espero a Justiça terrena e celestial”, desabafou.

A Polícia Civil investiga o caso.

Hospital Escola se manifesta sobre agressão à médica

NOTA DO CREMERS

O Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul (Cremers) manifesta veemente repúdio ao ato de violência praticado contra médica obstetra do Hospital Escola (HE) da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), nesta sexta-feira (29).

A autarquia considera absolutamente lamentável que ocorra um ato de agressão contra qualquer pessoa, especialmente neste caso, envolvendo uma médica no exercício profissional da Medicina.

O Cremers, por meio do conselheiro Pedro Funari, vai averiguar o ocorrido e acompanhar seus desdobramentos, prestando total apoio à profissional médica.

“Vamos cobrar a fundo a investigação desse acontecimento e que os responsáveis pela violência contra essa médica sejam punidos”, ressaltou o presidente do Cremers, Eduardo Neubarth Trindade.

Porto Alegre, 29 de maio de 2020.

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.