Advogadas de médica Scilla Lazzarotto divulgam nota

“O Conselho Nacional de Justiça apontou que entre 2005 e 2015 houve um aumento de 160% no número de processos judiciais por erro médico no país. O Brasil atingiu 26 mil processos contra médicos, por suposto erro médico.

A especialidade de Ginecologia e Obstetrícia, com 27,14% dos processos, é a mais demandada. No nosso estado é a quarta especialidades mais demandada, frisa-se que 99% dos demandantes estão amparados pela Justiça Gratuita, ou seja, é a judicialização da área da saúde.

Diante desse panorama, a Dr. Scilla faz parte destas estatísticas, eis que atua como médica há 22 anos, com uma média de cinco partos por plantão, haja vista que respondeu a três demandas judiciais na área cível, na Comarca de Pelotas, com a atuação das advogadas Franzisca Frey e Sara Cruz, sendo duas ações julgadas improcedentes e uma encontra-se na fase de instrução. Na área administrativa junto ao Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul, a Dra também foi absolvida por unanimidade.

O caso que vem sendo ventilado nas redes sociais referente ao estado do Paraná, dada a distância, ficou sob o comando de outro escritório, do mesmo modo teve um desfecho satisfatório para a médica e não apontou sua culpa, tendo o mesmo resultado no Conselho Regional de Medicina do Paraná.

Outrossim, nas cidades de Arroio Grande e Rio Grande não existe qualquer processo em nome da Dra.

Nenhum médico, por mais competente que seja, não pode assumir a obrigação de curar o doente ou de salvá-lo. Pois ciência médica, apesar de todo o seu desenvolvimento, tem inúmeras limitações, que só os poderes divinos poderão suprir. A obrigação que o médico assume a toda evidência, é a de proporcionar ao paciente todos os cuidados conscienciosos e atentos, de acordo com as aquisições da ciência. 

Os desabafos e denúncias que estão circulando nas redes sociais, frisa-se, apenas neste momento em que a Dra encontra-se fragilizada frente a agressão sofrida, serão esclarecidas oportunamente quando forem formalmente instrumentalizados, momento em que triunfará o princípio do contraditório e ampla defesa, bem como todas essas falácias divulgadas sem qualquer respaldo probatório ou conhecimento técnico.

Com a devida vênia, podemos comparar toda essa exposição e retaliação pública exagerada, que a Dra Scilla vem sofrendo ao caso da Dra Víginia Soares de Freitas, do Hospital Evangélico no Paraná e acreditamos que ao final de todos esses casos o resultado será o mesmo  _ a atuação certa e capaz da Dra Scilla como uma excelente profissional da saúde”.

Atenciosamente

Sara Cruz

Franzisca Frey


Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.