UFPel: “O racismo estrutural existe e pode ser percebido facilmente”

Da UFPel: Ao contrário do que muitos defendem, o racismo estrutural existe e pode ser percebido facilmente: pense em quantos professores negros você teve e pense com quantos colegas negros e negras você convive na Universidade. O acesso de estudantes negros e pardos cresceu nos últimos anos, mas pesquisadores ainda enfrentam muitas dificuldades para se destacar no ambiente acadêmico.

Na UFPel, os dados revelam o que a sociedade poderia enxergar facilmente apenas analisando criticamente cada ambiente visitado: apesar de representar mais da metade da população segundo o IBGE, os brasileiros autodeclarados pretos e pardos não possuem a mesma representatividade em determinados ambientes.

Na graduação, por exemplo, dos cerca de 18 mil estudantes, apenas 3.694 se autodeclaram pretos e pardos. Já no mestrado acadêmico, dos cerca de 1.500 estudantes, apenas 107 são pretos e pardos e no doutorado, dos 1.161 estudantes, apenas 37 são pretos e pardos. Além disso, dos 1.350 docentes efetivos, apenas 72 se autodeclaram pretos ou pardos.

Ignorar os reflexos do racismo na Universidade é ampliar a desigualdade da sociedade. A diversidade nos ambientes acadêmicos se constitui como um caminho para que a ciência consiga beneficiar toda a sociedade. Para além do acesso de negras e negros à Universidade, o conhecimento produzido por eles também precisa ser valorizado.

A UFPel iniciou a política de cotas para graduação em 2012 e para pós-graduação em 2017. Contudo, ainda há muita coisa a ser feita. Com o objetivo de discutir e buscar outras soluções para as ações afirmativas da Universidade, o UFPel Talks dessa semana abordará o “Racismo na Ciência: como fazer para aumentar a diversidade no ambiente científico?”.

A convidada da semana é a pesquisadora CEBRAP e doutora em Ciência Política (UERJ), Anna Carolina Venturini. Participam da discussão o professor do Programa de Pós-Graduação em Educação Física da UFPel, Eraldo dos Santos Pinheiro, a doutoranda em PPG Epidemiologia da UFPel, Janaína Calu Costa e o doutorando do PPG Recursos Hídricos da UFPel, George Gonçalves. A live que ocorrerá no Facebook da UFPel no dia 18 de junho, às 17h30min, terá mediação do reitor Pedro Curi Hallal.

Obrigado por participar. Comentários podem ter a redação moderada.