Após impasse com governo Leite, Mercado Livre desiste de abrir Centro de Distribuição no RS

Última atualização: 15h32 |

Gigante do e-commerce mundial, a empresa Mercado Livre, responsável por 33% do comércio online no Brasil, desistiu de instalar um centro de distribuição em Gravataí após impasse com o governo gaúcho. A desistência foi confirmada pelo prefeito de Gravataí, Marco Alba. Ele foi avisado da decisão após um telefonema do gerente de relações internacionais da empresa ML, François Martins.

O prefeito Alba disse:

“Um representante do Mercado Livre me ligou e disse que infelizmente não vai se instalar no Rio Grande do Sul, mesmo com todos os incentivos que o município atendeu prontamente, por uma questão de tributação do Rio Grande do Sul, do Estado, da Fazenda. É lamentável, no momento tão delicado que o país atravessa. O Estado do Rio Grande do Sul faz o que algum tempo atrás se fazia, que é mandar investidor embora”. 

Com a desistência, a empresa vai se instalar em Santa catarina.

A empresa ML havia escolhido Gravataí para abrir o seu terceiro Centro de Distribuição na América do Sul, pelo crescimento econômico da cidade e sua localização, que permitiria reduzir significativamente o tempo de entrega das mercadorias. Previa abrir 500 vagas, com projeção para duplicar a quantidade de postos de trabalho.

A prefeitura de Gravataí havia liberado alvará de funcionamento. A projeção de início das operações era para o primeiro trimestre deste ano, mas nunca ocorreu. Em março passado a empresa suspendeu os processos seletivos da contratação dos funcionários e anunciou uma tentativa de negociação com o governo do RS.

O conflito

Pelas normais atuais do Estado gaúcho, cada vendedor que comercializa produtos pela plataforma ML teria de abrir uma “filial” no Rio Grande do Sul. A ML considerou que essa exigência inviabilizaria o empreendimento. A empresa desejava uma alteração nesse ponto, a exemplo do que ocorreu em São Paulo, onde a empresa já tem centros de distribuição.

O centro de distribuição da ML de Gravataí seria construído em uma área total de quase 50 mil metros quadrados, com faturamento estimado de R$ 450 milhões nos próximos cinco anos. 

Confira a nota do Mercado Livre na íntegra:

“O Mercado Livre confirma que, infelizmente, as negociações com o governo gaúcho para desburocratizar a atuação de vendedores de fora do Rio Grande do Sul dentro do estado resultaram infrutíferas até o momento. No entanto, mantemos nosso propósito de instalar um CD no Sul do Brasil, por ser um importante mercado para nossos usuários, tanto vendedores quanto compradores da plataforma. Já iniciamos conversas com outras localidades na região, onde identificamos um modelo de atuação mais favorável aos empreendedores que atuam em nosso marketplace. Agradecemos muito pela receptividade tanto do governo do Rio Grande do Sul quanto da prefeitura de Gravataí em conversar e ouvir nossas necessidades para operar, e confirmamos que nada mudará com nosso hub de entregas que já existe em Porto Alegre. O Mercado Livre se mantém à disposição para futuras oportunidades.”

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.