Inventário do ciclone em Pelotas

Segundo a prefeitura:

Vendaval e chuva deixam saldo de falta de energia e árvores caídas. Não há registro de desabrigados ou desalojados na cidade

Ventos que atingiram 97,6 km/h na madrugada desta terça-feira (1º/7), de acordo com registros do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), chamados de ciclone-bomba por setores vinculados às áreas de clima e tempo, provocaram a queda de mais de 30 árvores na área urbana do Município e foram responsáveis pela falta de energia elétrica em cerca de 77 mil pontos na região. Em Pelotas, não há desabrigados ou desalojados.

Força-tarefa integrada pela Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, secretarias de Qualidade Ambiental (SQA), de Serviços Urbanos e Infraestrutura (Ssui), de Transporte e trânsito (STT) atuam com prioridade no corte e remoção de árvores, principalmente as que interferiram na fiação de energia.

Defesa Civil

A Defesa Civil em Pelotas não recebeu chamados de emergência para remoção de pessoas durante a madrugada. De acordo com os registros da Coordenadoria local, informações de árvores tombadas chegaram de diversas áreas da cidade durante toda a manhã, assim como sobre a queda parcial do muro dos fundos do IFSul.

Corpo de Bombeiros

O Corpo de Bombeiros manteve seus três caminhões em atendimento às ocorrências de árvores e fios elétricos caídos. Até as 9h desta terça-feira, a guarnição já havia registrado mais de 20 chamados para providências nesse sentido.

Transporte e Trânsito

Durante a madrugada de temporal, o setor de agentes da Trânsito da STT não recebeu chamados de ocorrência de acidentes.

Os semáforos da rua General Osório, nos entroncamentos com a 7 de Setembro, General Neto e Voluntários da Pátria, perderam o sinal. Os locais receberam sinalização com cavaletes e placas. Na madrugada, alguns semáforos registraram instabilidade. Pela manhã, recuperaram as funções.

Na rua Gomes Carneiro com Almirante Barroso, uma árvore tombou sobre os fios da rede de energia elétrica. A STT isolou a quadra.

Qualidade Ambiental

A SQA está à frente no trabalho do corte de árvores que tombaram durante o temporal. A prioridade é atender aos chamados de locais onde haja comprometimento para o trânsito e que envolvam fiação de energia. Duas equipes realizam o corte das árvores tombadas.

Serviços Urbanos e Infraestrutura

A Ssui não apurou situações de alagamentos que necessitassem intervenções. O trabalho das equipes concentrou-se na remoção de galhos partidos pelo vento e caídos em via pública, e no recolhimento das árvores seccionadas pela SQA e Bombeiros.

Assistência Social

A Secretaria de Assistência Social não recebeu chamado para recolhimento de nenhuma pessoa, e mantém plantão sempre que a Defesa Civil repassar casos de emergência. A Casa de Passagem e o Centro Pop continuam abrigando moradores em situação de rua. Os serviços estão centralizados no Colégio Municipal Pelotense.

Sanep

Todas as casas de bombas do Sanep mantiveram-se funcionando normalmente, com equipes atuando na remoção de lixo acumulado nas grades, conduzido pelos canais de macrodrenagem, para evitar danos aos equipamentos.

A Barragem Santa Bárbara, que acusava 1,68 metro abaixo do nível normal, passou a 1,44 metro (medida instável devido ao vento), por volta das 9h desta terça-feira.

Os pluviômetros monitorados pelo Sanep acusaram o acumulado de 39 milímetros de chuva (na área da Barragem) e 35 milímetros (na avenida Bento Gonçalves), entre a manhã de segunda-feira (30) e a de terça (1º).

Obrigado por participar. Comentários podem ter a redação moderada.