Secovi/Zona Sul: ‘Mercado imobiliário sente forte impacto de medidas restritivas’

O SECOVI/ZONA SUL-RS, entidade sindical que atua na representação e defesa das empresas imobiliárias e condomínios da Região Sul, vem a público prestar os esclarecimentos que entende necessários no momento em que convivemos com as restrições impostas pela classificação da cidade de Pelotas como bandeira vermelha.

Inicialmente, destacamos que as orientações a seus associados têm sido no sentido de cumprimento de todas as medidas sanitárias impostas tanto pelos decretos estaduais como municipais, com a adoção de normas de distanciamento social e de disponibilização de equipamentos de proteção e prevenção de contaminação dos funcionários, com a utilização do trabalho de apenas 25% deles, em regime de teleatendimento, e observação do teto de ocupação do espaço físico, conforme determina o Decreto Estadual no 55.347, de 06/07/2020, sem prejuízo de eventual atendimento urgente e imprescindível, observadas as cautela para tanto.

Importante também destacar o trabalho desenvolvido pelas imobiliárias e pelas administradoras de condomínio, essas últimas desempenhando atividades essenciais no atendimento das demandas condominiais que, ao se apresentarem, devem ser atendidas imediatamente tais como consertos de elevadores, de bombas elétricas, de caixas d’água, de interfones, controle de portarias e de acesso de pessoas aos condomínios, tanto de veículos como de pedestres, emissão de boletos de cobrança, pagamento de salários dos funcionários, inclusive vales transportes, e das demais obrigações financeiras, compra de materiais de assepsia para uso dos funcionários, inclusive máscaras e álcool gel, e para higienização das áreas de uso comum, destacando-se que, nesse momento, a lotação das unidades autônomas aumentou significativamente, em razão do confinamento e de serviços no sistema “home office”, e que o não atendimento dessas necessidades essenciais deixarão os condôminos sem as condições mínimas para utilização de seus imóveis, inclusive com riscos para a saúde dos moradores dos condomínios.

Outrossim, também é essencial a atuação das imobiliárias no atendimento de demandas urgentes de locadores e locatários, tais como consertos de defeitos que surgem repentinamente e necessitam de solução imediata, recebimento de aluguéis (veja-se que para uma parte significativa da população o valor oriundo de uma locação é essencial na complementação de sua aposentadoria), recebimento de chaves ao término de locações, vistorias e tanto outros serviços prestados aos usuários.

Desta maneira, ao destacarmos a importância das atividades desempenhadas por imobiliárias e administradoras de condomínios, com especial destaque para os cuidados de prevenção e higiene que vêm dispensando aos seus colaboradores, clientes e moradores dos imóveis que administram, esperamos contar com a compreensão da significativa parcela da população que utiliza os serviços prestados por elas que, assim como todos os demais cidadãos, estão procurando colaborar com o Poder Público na prevenção da contaminação pelo coronavírus e sua disseminação, bem como na preservação do maior número de postos de trabalho, ainda que com sacrifícios financeiros nesse momento em que o mercado imobiliário, assim como todos os demais segmentos, sente o forte impacto de medidas restritivas.

Diretoria do Secovi Zona Sul

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.