Pelotas pode ter de ficar em bandeira vermelha por mais tempo

Escute a notícia

Pelotas foi classificada de novo em bandeira vermelha, no resultado geral dos indicadores da cidade do Plano de Distanciamento Controlado do estado.

Paula poderá recorrer até segunda-feira (13). Se não o fizer, tecnicamente, Pelotas poderá vir a ter mais 15 dias, a partir de terça-feira (14), de vigência das medidas de bandeira vermelha de alto risco de contágio.

Esta é a segunda semana consecutiva que a Zona Sul é classificada em bandeira vermelha. A primeira foi entre os dias 7 e 13, quando o governo estadual apontou agravamento nos indicadores de velocidade do avanço do vírus na macrorregião, como “hospitalizações confirmadas para Covid-19” e no “de pacientes em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI)”.

Bandeira preta em alguns indicadores pelotenses

Para esta próxima décima semana (14 a 21 deste mês), o indicador “de hospitalizações confirmadas para Covid-19” entre as duas semanas e o “de pacientes Covid-19 em leitos clínicos” no último dia de análise obtiveram bandeira preta.

Já a quantidade de hospitalizações confirmadas para a doença registradas nos últimos sete dias, aumentou 86% entre as duas semanas que antecedem a divulgação preliminar desta sexta, passando de 22 na semana anterior para 41 na atual.

No caso de internados em enfermarias, o aumento foi de 67%, passando de 12 para 20. As internações em UTI por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e por Covid-19 se mantiveram estáveis.

Segundo o Estado, o aumento no número de casos e de hospitalizações faz com que a região de Pelotas siga agravada pelos indicadores “de estágio da evolução na região” e “de incidência de novos casos sobre a população”.

A “capacidade de atendimento” da macrorregião (Sul + Bagé), assim como as demais 20 regiões do estado, com bandeira preta e a sinalização de bandeira vermelha no indicador de “mudança da capacidade de atendimento” são os dois fatores que reforçam a elevação de risco na região.

O indicador da divisão de leitos de UTI livres por leitos de UTI ocupados por pacientes infectados manteve a situação de bandeira laranja.

Análise de recurso

Após a divulgação preliminar, a prefeita Paula Mascarenhas se pronunciou quanto à possibilidade de recurso para flexibilização de medidas. Segundo a prefeitura, ela deve levar a questão para o Comitê de Crise e aguardar análise técnica para decidir se recorre ou não.

“O elemento mais importante que nós teríamos para colocar como recurso agora seriam 10 novos leitos que nós disponibilizamos para regulação estadual, mas como isso aconteceu no início desta semana, me parece que o Estado já levou em conta para esta análise que foi disponibilizada hoje e isso não foi suficiente para reverter a bandeira”, destacou a prefeita.

Até esta sexta, o município tinha 384 casos confirmados do novo coronavírus, sendo destes, 278 considerados recuperados, 85 em isolamento e 15 internados. Segundo o último boletim epidemiológico, a cidade registrou seis óbitos pela doença até o momento. Além disso, 29 pessoas estão internadas nas unidades de referência no tratamento da pandemia, sendo cinco de outros municípios da região.

Assim como Paula, demais prefeitos e associações de municípios – no caso de Pelotas, a Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul) – devem apresentar o recurso ao Estado até o domingo (12), às 6h. A bandeira definitiva será divulgada na segunda-feira (13).

Demais regiões

Além de Pelotas, outras 14 regiões estão com risco alto para o novo coronavírus, representando um total de 84,2% da população gaúcha. Na versão definitiva da nona rodada do modelo, divulgada na segunda-feira (6), seis regiões estavam com bandeira vermelha.

A análise preliminar desta sexta traz as regiões de Porto Alegre, Canoas, Novo Hamburgo, Capão da Canoa, Palmeira das Missões e Pelotas mantidas no risco alto da doença. Já as regiões de Taquara, Santo Ângelo, Cruz Alta, Santa Rosa, Erechim, Passo Fundo, Caxias do Sul, Cachoeira do Sul e Santa Cruz do Sul passaram de bandeira laranja para vermelha nesta rodada.

As regiões com risco médio são Santa Maria, Ijuí, Uruguaiana, Bagé e Lajeado. Nenhuma região apresentou bandeira amarela nesta rodada, bem como nenhuma região apresentou melhora nos índices.

Com nove novas regiões em alto risco, RS chega a 15 bandeiras vermelhas no mapa preliminar da 10ª rodada

 

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.