RIO GRANDE DA BANDEIRA PRETA PARA VERMELHA

A partir de segunda-feira (13), Rio Grande passa a adotar a bandeira vermelha como critério para distanciamento e funcionamento de várias atividades no município, até o final da próxima semana, de acordo com o Modelo Papareia de Distanciamento Social Controlado. A mudança da cor da bandeira vai alterar o funcionamento de alguns serviços que, até domingo (12) vão continuar sujeitos às regras da bandeira preta.

Não será permitido, na próxima semana, o funcionamento de casas noturnas, teatro e cinema, ateliêrs de arte, eventos em ambientes abertos e fechados, academias de ginástica, clubes sociais, esportivos e similares, salões de belezas e barbearias, missas e serviços religiosos, atividades desenvolvidas por faxineiros, cozinheiras, motoristas, babás, jardineiros e similares. A relação dos serviços essenciais e não essenciais está disponível nos links http://www.riogrande.rs.gov.br/monitoramento-arquivos/ e em Prefeitura (Facebook).

A nova cor da bandeira foi definida durante reunião do Comitê Municipal Técnico em Saúde, realizada neste sábado (11) pela manhã. O anúncio da cor vermelha coube ao prefeito Alexandre Lindenmeyer, durante uma transmissão pela página da Prefeitura no Facebook, no final da tarde deste sábado. Participaram do anúncio o professor da FURG, Tiarajú Freitas, os secretários de município da Saúde (SMS), Maicon Lemos, da Coordenação e Planejamento (SMCP), Roque Werlang e o de Desenvolvimento, Inovação e Turismo (SMDIT), Cláudio Dutra.

O cálculo para definir a bandeira é baseado em 12 indicadores, analisados durante uma semana. Tanto na semana retrasada como na última, a média da bandeira para Rio Grande foi para a cor vermelha, mas ainda num nível bastante alto, alertou o professor Tiarajú Freitas. Cinquenta por cento da análise para definir a cor da bandeira refere-se à propagação do vírus no município e os outros 50% têm como base a capacidade de atendimento nos serviços hospitalares.

Conforme o professor da FURG, a situação da falta dos medicamentos, que gerou o agravamento da bandeira de cor vermelha para preta, na semana passada, de acordo com a avaliação qualitativa aplicada pelo Comitê, “nessa semana apresentou melhoras, mas permanece um nível importante de risco alto”. O professor acrescentou que “a maior mudança na bandeira, que até diminui o seu índice em relação à semana passada, foi a ampliação do número de leitos, o que gerou uma melhora na bandeira que começa na próxima segunda”.

Após anunciar a bandeira vermelha, o prefeito se manifestou solidário com as pessoas que perderam parentes para a Covid-19 ou que são pacientes por estarem contaminados com o novo coronavírus. Até o começo da transmissão, Rio Grande contabilizava 16 óbitos e mais de 530 pessoas já contaminadas pelo vírus. Alexandre apelou para que a população contribua com a diminuição da propagação do vírus no município e lembrou que a mudança na cor da bandeira não muda o compromisso de cada cidadão e cidadã em relação aos cuidados que devem ser tomados, como a higienização das mãos, o uso de máscaras e sair de casa só quando necessário.

Distanciamento social

O secretário de Coordenação e Planejamento, Roque Werlang apresentou um levantamento sobre o distanciamento social no município. Explicou que cada região da cidade é mapeada, mostrando o comportamento da população. “No mínimo, 3 mil pessoas são monitoradas em cada região, por meio de um aplicativo, dando uma amostra clara de como estão os índices de distanciamento em Rio Grande.” Conforme Werlang, no começo da pandemia, o índice chegou a 70% e, atualmente, a administração municipal trabalha para que o percentual atinja, no mínimo, 60%.

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.