Connect with us
https://www.mvpthemes.com/zoxnews/wp-content/uploads/2017/07/zox-leader.png

Pandemia

Piratini: “Mesmo com retorno de atividades neste ano, retração da economia pode ser de 10% no RS

Published

on

Na mesma medida que o combate ao coronavírus ainda desafia a ciência, prever os reais impactos na atividade econômica igualmente é um exercício cercado de incertezas.

A partir de uma série de indicadores sobre o consumo e a circulação das pessoas, estudo desenvolvido no âmbito do Comitê de Dados do governo do Estado no enfrentamento da Covid-19 reuniu dois modelos distintos para estimar os efeitos da pandemia na economia e, mesmo em cenários menos pessimistas, ambos mostram que 2020 será pior do que 2015, quando o país viveu o pico de uma recessão.

Em uma das análises de curto prazo, a retração do IBCR-RS (Índice de Atividade Econômica do Banco Central para o RS) seria na ordem de 10%, isso na hipótese de se retomar gradativamente os índices de atividade pré-pandemia.

Mesmo para registrar um indicador tão negativo e que deverá se replicar no comportamento do PIB gaúcho, o estudo conduzido pelo professor Régis Augusto Ely, do Departamento de Economia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), alerta que não foram consideradas mudanças na estrutura produtiva no período pós-pandemia em função de restrição de informações.

Se isso ocorrer, a queda da atividade econômica pode permanecer por um período longo de tempo. No caso do cenário se agravar, exigindo que o isolamento permaneça nos padrões atuais até dezembro, a queda do IBCR-RS deve ultrapassar 14%.

No estudo, Ely analisou indicadores que envolvem desde a arrecadação de ICMS  cuja queda em abril foi de R$ 451 milhões na comparação com o mesmo mês do ano passado , emissão de notas fiscais eletrônicas (queda mensal de R$ 14,7 bilhões), a demanda de energia elétrica e até mesmo o volume de veículos de passeio e de transportes cruzando por praças de pedágio.

Em uma estimativa mais drástica (na hipótese do avanço da doença exigir medidas de isolamento iguais às adotadas no mês de março), o tombo na atividade econômica poderá atingir a marca de 16%. Diante do quadro, o professor de Economia vislumbra apenas para 2021 o início de um ciclo de retomada. “Isso na hipótese de termos a nossa estrutura produtiva mantida e que esta recuperação seja rápida, sendo sentida logo nos primeiros meses do próximo ano”, avalia.

Análise de setores

No segundo modelo utilizado no estudo, o economista Adelar Fochezatto, professor da Escola de Negócios da PUCRS, desenvolveu estimativas sobre os impactos da pandemia se valendo de projeções de cenários agregados e setoriais para o Valor Adicionado Bruto (VAB) e em termos de arrecadação do ICMS. Pelos estudos que trabalhou, Fochezatto avaliou o desempenho dos principais segmentos produtivos do RS. 

Nesse sentido, analisou indicadores como o choque de demanda de energia em cada setor, os níveis de recolhimento do principal imposto estadual e a queda de oferta de produtos primários por conta da forte estiagem que atingiu o Estado.

A partir desses indicadores, o modelo trabalhou em dois cenários: um deles com a crise perdurando quatro meses e o segundo, se prolongando por nove meses. Mesmo quando a economia gaúcha sofre por menos tempo, a economia pode variar negativamente entre 6,5% e 8,1%, e as perdas em termos de arrecadação do ICMS devem ficar entre R$ 1,8 bilhão e R$ 2,3 bilhões e entre R$ 21,7 bilhões e R$ 27,1 bilhões em termos de VAB.

Na situação mais extrema, a queda na cobrança do imposto ficaria entre R$ 4,1 bilhões e R$ 5,1 bilhões (variação negativa entre 14,6% e 18,2%), no mínimo o dobro do volume de repasses com o socorro federal que o RS receberá em quatro parcelas. Nessa situação mais extrema, as perdas de VAB ficariam entre R$ 48,8 bilhões e R$ 61,1 bilhões.

Nos cenários analisados, o setor automobilístico, a agropecuária, a indústria metalúrgica e a fabricação de aço são os que apresentam maiores variações negativas, tanto no VAB como na arrecadação de ICMS.

Fochezatto e Ely são colaboradores externos do Comitê de Dados, órgão responsável por elaborar análises e reunir dados para embasar as decisões do governo do Estado no enfrentamento da Covid-19. Eles atuam junto ao grupo de trabalho (GT) de Atividade Econômica, coordenado pela economista Vanessa Neumann Sulzbach, do Departamento de Economia e Estatística (DEE/Seplag). O estudo já foi tema de reunião do Gabinete de Crise.

Click to comment

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.

Pandemia

Confira cronograma de vacinação contra Covid-19 nesta semana

Published

on

A vacinação em Pelotas avança com programação bastante intensa nos próximos dias, com ações já estipuladas pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). As aplicações serão no drive-thru no Centro de Eventos e nos quatro pontos nos bairros, para proteção com primeira, segunda e terceira doses para diferentes públicos. Acompanhe as datas e locais e não deixe de buscar a imunização.

Veja o cronograma completo com datas, locais e horários

Drive-thru – das 9 às 17h

Centro de Eventos (com entrada pela avenida Pinheiro Machado)

* Segunda-feira (27) – 2ª dose para pessoas com 18 anos, que receberam a primeira dose da CoronaVac no dia 26 de agosto

* Terça-feira (28) – 2ª dose para pessoas com 50 anos, que receberam a primeira dose da Pfizer no dia 26 de junho

* Quarta-feira (29) – 2ª dose para pessoas com 49 e 48 anos, que receberam a primeira dose da Pfizer no dia 27 de junho

* Quinta-feira (30) – 2ª dose para pessoas com 47 e 46 anos, que receberam a primeira dose da Pfizer no dia 28 de junho

* Sexta-feira (1º/10) – 2ª dose para pessoas com 45 e 44 anos, que receberam a primeira dose da Pfizer no dia 1º de julho

Nos bairros – das 10 às 15h

– Segunda-feira (27) – 3ª dose para idosos com 70 anos ou mais e para pessoas com imunossupressão

* Terça-feira (28) – 1ª dose para pessoas com 16 anos ou mais

* Quarta-feira (29) – 2ª dose para pessoas com 51 e 50 anos, que receberam a primeira dose da AstraZeneca nos dias 28 e 29 de junho

* Quinta-feira (30) – 2ª dose para pessoas com 49 e 48 anos, que receberam a primeira dose da AstraZeneca no dia 30 de junho 

* Sexta-feira (1º/10) – 2ª dose para pessoas com 47 e 46 anos, que receberam a primeira dose da AstraZeneca no dia 1º de julho

Documentação necessária

Para 1ª dose de adolescentes

– Documento de identidade;

– CPF ou Cartão SUS;

– comprovante de residência ou declaração de moradia assinado pelo proprietário; e,

– declaração assinada pelos pais ou responsável legal autorizando o jovem a receber a imunização.  

Declaração dos pais ou responsável legal

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informa que todos os jovens deverão apresentar a declaração que autoriza a imunização e, preferencialmente, devem comparecer com os pais ou responsável legal. Aqueles que não estiverem acompanhados, obrigatoriamente, deverão apresentar o documento preenchido e assinado. Assim como o comprovante de vacinação, a autorização também está disponível nos pontos de vacinação e poderá ser acessada no site do coronavírus para impressão. 

Para 2ª dose

– Documento de identidade; e,

– comprovante de vacinação para comprovar a 1ª dose.

Para 3ª dose

Idosos com 70 anos ou mais

– Documento de identidade; e,

– comprovante de vacinação para comprovar as duas doses ou esquema vacinal completo, com seis meses de intervalo desde a última aplicação.

Imunossuprimidos

– Documento de identidade; e,

– novo atestado padrão, confeccionado pela Prefeitura, disponível no site do coronavírus. Esse documento é diferente daquele exigido para a primeira dose do grupo de pessoas com comorbidades. Para emitir o documento, os pacientes devem se deslocar até uma Unidade Básica de Saúde (UBS) ou algum outro serviço de saúde. A esse grupo, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) orienta que o intervalo entre a segunda ou a dose única, e a 3° dose, seja de 28 dias.

Veja os pontos de vacinação nos bairros

– Pelotas Parque Tecnológico – avenida Domingos de Almeida, 1.785 – Areal

– Colégio Pelotense – Auditório, entrada pela avenida Bento Gonçalves – Centro 

– Associação Rural – Casa da Amizade, avenida Fernando Osório, 1.754 – Três Vendas

– Paróquia São José, na avenida Duque de Caxias, 520, no Fragata

Orientações importantes

A SMS informa que é preciso aguardar o intervalo mínimo de 14 dias entre a aplicação da vacina contra a Covid-19 e qualquer outra do esquema vacinal, incluindo a que protege da gripe, para garantir a imunização correta. 

Além disso, as pessoas que apresentarem sintomas gripais não devem comparecer na data marcada. O mesmo vale para quem tiver positivado para o coronavírus. É necessário aguardar 30 dias do início dos sintomas para receber a aplicação.

Continue Reading

Brasil & Mundo

Bolsonaro testa negativo para covid

Published

on

Bolsonaro testou negativo para Covid-19.

O resultado saiu neste domingo, após cinco dias de isolamento social, por orientação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O resultado do exame libera o presidente a cumprir agenda comemorativa em razão dos 1000 dias de mandato.

Na segunda, Bolsonaro deve celebrar a data com a inauguração de trecho de 10 quilômetros de asfalto.

PUBLICIDADE: Aurora, novo empreendimento da Idealiza Cidades no Parque Una

Continue Reading

Pandemia

UFPel adia início das disciplinas práticas

Published

on

O primeiro dia de aulas das disciplinas práticas, que estava programado para ocorrer no dia 4 de outubro, terá uma nova data para ocorrer: as atividades presenciais começarão no dia 18 de outubro. A medida busca garantir um período de 14 dias de quarentena para os estudantes que obtiverem a matrícula nos componentes curriculares entre a confirmação da matrícula e o início das aulas, especialmente para aqueles que precisam se deslocar de outros estados.

A nova data foi divulgada pela Pró-Reitoria de Ensino na tarde desta sexta-feira (24). Como o período de solicitação de matrícula ocorrerá a partir deste sábado (25), até terça-feira (28), e as homologações ocorrerão na quarta (29) e quinta-feira (30), a ideia é que os alunos matriculados tenham tempo de se deslocarem até Pelotas e ainda realizarem um período de isolamento social de 14 dias, de forma a evitar a circulação do coronavírus.

O dia 18 de outubro marcará então o início das atividades de 125 disciplinas teórico-práticas que tiveram suas propostas aprovadas por comissão especial do Conselho Coordenador do Ensino, da Pesquisa e da Extensão (Cocepe) da UFPel. Por deliberação do mesmo conselho, somente poderão frequentar tais atividades estudantes que já tenham recebido pelo menos a primeira dose da vacina contra a Covid-19; a comprovação da imunização ocorrerá no momento da solicitação da matrícula. Alunos menores de 18 anos deverão ter pedido analisado pelo Cocepe e pelo Comitê Covid-19, visto que a vacinação dessa faixa etária ainda não está ocorrendo amplamente.

Manual sobre retorno

A Pró-Reitoria de Ensino disponibilizou um guia, tirando as principais dúvidas sobre o retorno dessas atividades presenciais na UFPel. Ele inclui informações como as principais datas desse calendário das disciplinas práticas, procedimentos em caso de contágio, além de trazer orientações sobre estágios obrigatórios e trabalhos de conclusão de curso.

O documento pode ser encontrado no link: Orientações aos estudantes.

Continue Reading

Em alta