Roger Ney diz que carta de pré-candidatos a vereador não é posição do PP e não há rompimento com tucanos

O presidente do PP pelotense, vereador Roger Ney, procurou o Amigos há pouco para manifestar sua posição sobre uma carta-manifesto em que 30 pré-candidatos a vereador pelo partido dizem, entre outros pontos, isto abaixo:

“Considerando que até 15 de julho de 2020, prazo estipulado pelos partidos (PP e PSDB), em reunião realizada no dia 18 de junho de 2020 e amplamente divulgada na imprensa local no dia 19 de junho de 2020, não restou definido que o PP terá direito a indicar o candidato a Vice Prefeito na chapa de situação”.

Roger Ney

Roger Ney diz que, ao contrário do que diz o manifesto, o prazo segue em aberto. “Como o TSE adiou as eleições em 40 dias, por conta da pandemia, o prazo para uma resposta do PSDB foi igualmente adiado. De 15 de julho passou para 20 de agosto”.

Roger diz também que a data de 15 de julho não foi definida pelo PSDB, que não tem nada a ver com isso. A data não foi definida nem na Executiva do PP, mas sim pelo presidente estadual do partido, Celso Bernardi, junto com o ex-prefeito Fetter Jr., que posteriormente avisaram desse definição a Executiva do PP. “O PSDB não teve nenhuma influencia sobre essa data e nem foi comunicado aos tucanos, oficialmente, que essa era uma data-limite”.

Segundo Roger, “o governo não desistiu do PP. Apenas ganhou maior tempo para definir-se, e o processo de construção da aliança entre PP e PSDB continua vigendo e acredito que terá um desfecho positivo para ambos”.

“Nós pleiteamos a vaga de vice porque acreditamos que o PP, pelo seu histórico e compromisso com o governo, merece, neste momento, ter maior protagonismo no governo. Está hora de o PP indicar o vice”.

“Se até 20 de agosto, o PSDB não nos der resposta ou der, recusando a aliança conosco, bem, então teremos nosso próprio candidato do PP a prefeito, e o nome, hoje, é o do ex-prefeito Adolfo Fetter Jr”.

Segundo Ney, a carta-manifesto não reflete a posição do PP. “Reflete tão somente a posição de candidatos a pré-vereador, sem o peso institucional adequado”.

Roger disse mais:

“Acredito que essa carta foi feita por influência do vereador Fabrício Tavares, colega partidário nosso. Ele gostaria de ser o candidato do PP a vice, mas, como foi vetado no Paço, talvez, inconformado, tenha induzido a essa situação da carta, que induz a um rompimento entre nós e o PSDB, o que, hoje, está fora de cogitação. Como eu disse, o tema da composição da chapa está em curso, com resposta para até 20 de agosto. Se o PSDB não quiser o PP ao lado na chapa, nem rompimento, no sentido de briga, ocorrerá. Nós apenas seguiremos o nosso caminho próprio, dando vida a uma candidatura própria na majoritária”.

Abaixo, documento enviado por Roger Ney onde diz que a data para a reposta do PSDB foi adoada para 20 de agosto.

PAULA NEGA ACORDO COM PP PARA CEDER VICE

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.