Os verdadeiros testes por que passaram os seis pretendentes à vaga de vice de Paula

Última atualização: às 18h27 de 28/07 |

Para alguns políticos e analistas da cena pelotense, o teste a que os tucanos submeteram os seis pretendentes à vaga de vice da professora Paula Mascarenhas na eleição deste ano foi mais do que pareceu à primeira vista.

Nele, o sexteto teve de responder individualmente à pergunta Quem é você?, por um minuto cravado, diante de uma câmera de vídeo. O teste se completou com cada postulante posando para uma solitária fotografia, sem maquiagem, de cara limpa, como uma pessoa quando vai tirar passaporte.

Para começo, não teria sido um teste, mas TRÊS, outros, e não para deles pinçar o melhor para ser o vice, até porque a sessão de vídeo e foto é o item menos decisivo na definição.

Três provas com pesos ligeiramente diferentes, mas complementares:

  1. Uma prova de Boa Vontade (por aceitar passar por um teste de molde juvenil e empregatício);
  2. Uma prova de Resiliência (que é a propriedade que alguns corpos apresentam de retornar à forma original após terem sido submetidos a uma deformação elástica).
  3. Uma prova de Discrição (por não sair por aí falando mal, depois).

Juntas, as três provas, somadas, resultariam no que mais importaria para a análise geral: o diploma de doutorado em fidelidade.

PAULA E SEUS ‘6 PRETENDENTES’

1 thought on “Os verdadeiros testes por que passaram os seis pretendentes à vaga de vice de Paula

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.