Contradições incompreensíveis em Bolsonaro

As principais forças que elegeram Jair Bolsonaro são as seguintes:

  1. Juízes, policiais federais e procuradores identificados com a Lava-Jato (o que Christian Lynch chama de “tenentismo togado”).
  2. A classe média urbana entusiástica da Lava-Jato.
  3. O Brasil sertanejo (o que o Pedro Doria chama de “Brasil do r retroflexo”).
  4. Radicais golpistas olavetes.
  5. A periferia urbana evangélica.
  6. Grandes empresários e o mercado financeiro, comprometidos com uma política econômica responsável.
  7. As Forças Armadas.
  8. Polícias estaduais e milícias, que, não são a mesma coisa, mas têm visões parecidas e, em muitos estados, como o Rio, se confundem (e são chamadas de “polimilícia” pelo Idelber Avelar).
  9. O antipetismo em geral.

Um ano e meio depois da posse, como vai indo Bolsonaro em relação às expectativas daqueles que o elegeram?

  1. Bolsonaro fritou Moro até forçá-lo a sair. Jamais defendeu o combate à corrupção. Interferiu e aparelhou a PF e a PGR. Está desmontando o MPF. Aliou-se ao centrão. Está enterrando a Lava-Jato.
  2. Veja item acima.
  3. A política (anti)ambiental de Bolsonaro está trazendo fortes prejuízos para o agronegócio exportador.
  4. Os radicais foram vencidos pelos militares palacianos, e ficaram sem espaço. Tornaram-se uns cachorrinhos que continuam fazendo o trabalho sujo em troca de dinheiro público desviado e/ou um cafuné ocasional.
  5. Bolsonaro trata os evangélicos um pouco como trata os radicais: são irrelevantes no governo, mas ficam por ali à espera de um cafuné ocasional.
  6. Bolsonaro aliou-se ao centrão e autorizou Braga Netto a gastar. Está claro que o compromisso com a responsabilidade fiscal (que nunca realmente existiu) acabou e a fritura de Guedes já começou.
  7. Bolsonaro politizou as Forças Armadas e usou-a para legitimar seus atos antidemocráticos. Humilhou generais como Heleno, Ramos, Braga Netto e Pazuello; escorraçou outros, como Santos Cruz e Santa Rosa. Criou cisão entre generais legalistas e golpistas. Manteve os compromissos fisiológicos, protegeu os militares na reforma da Previdência, de aumento de salário e nomeou para cargos no governo (desmoralizando os oficiais)… e causou um dano irrecuperável à imagem da corporação.
  8. Bolsonaro prestigiou a polimilícia, neutralizou o combate à corrupção e faz o que pode para liberar geral as armas e promover a impunidade de policiais e milicianos. A polimilícia é a única com motivo real para estar feliz.
  9. Bolsonaro é melhor do que o PT exatamente como?!?

Bolsonaro traiu quase todos que o elegeram. Se você votou nele e ainda o apoia, ponha as barbas de molho.

Ricardo Rangel é colunista de Veja e, a pedido nosso, autorizou a compartilhamento, aqui, de seus posts no facebook..

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.