O documento da Azonasul para ter autonomia nas medidas restritivas

Durante a manhã desta segunda-feira, em reunião promovida em plataforma virtual, os 22 prefeitos da região aprovaram, por maioria, a proposta em que defendem mais autonomia aos municípios.

Conheça, abaixo, o documento que será apresentado pelo presidente, Luis Henrique Pereira da Silva, prefeito de Arroio Grande, durante a manhã desta terça-feira, dia 4, em encontro, também virtual, promovido pela Famurs com a presença do secretário estadual de Articulação e Apoio aos Municípios, Agostinho Meirelles.

Em resposta à proposta de novo Sistema de Distanciamento Controlado, apresentado pelo Governo do Estado, comunicamos que a Associação dos Municípios da Zona Sul, composta de 22 Municípios, em reunião realizada no dia 03 de agosto, de 2020, às 10h, APROVOU, por maioria, a proposta de cogestão regional, propondo, no entanto, as seguintes alterações:

1) Que a mudança das bandeiras Amarela e Laranja para as de cor vermelha e preta tenham a duração de, pelo menos, duas semanas, evitando-se a descontinuidade, principalmente, das atividades econômicas;

2) A manutenção parcial do sistema em vigor, aplicando os protocolos da BANDEIRA LARANJA, que fixa previsões de cuidados prévios e de controle efetivo das ações, visando o enfrentamento da pandemia;

3) Manutenção da observância das restrições previstas no Sistema de Distanciamento Controlado, com orientação emitida pelo Governo do Estado, mas com a possibilidade de adoção de protocolos menos restritivos, a partir de deliberações das Associações Regionais, sendo a definição de protocolos adotada mediante aprovação, pela maioria dos membros;

4) A destinação, por parte do Governo do Estado, de TESTES RT-PCR para os Municípios, para aplicação em pelo menos 20% da população, além de credenciar um laboratório, por região, visando maior agilidade dos procedimentos;

5) Determinação do Governo do Estado para que a Brigada Militar e a Polícia Civil atuem nos Municípios, em apoio à fiscalização feita pelas Prefeituras, no cumprimento dos Decretos Estadual e Municipais, que vedam aglomerações de qualquer natureza, intervindo, inclusive, coercitivamente, se necessário.

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.