“Lockdown deveria ser maior”, alerta Comitê da UFPel para Covid-19

Comitê Interno para Acompanhamento da Evolução da Pandemia da Covid-19 da Universidade Federal de Pelotas divulgou, na noite desta quarta-feira (5), nota comentando o decreto que estabelece medidas de isolamento social na cidade de Pelotas:

Nota técnica

Os Comitês de Enfrentamento da Pandemia da UFPel e do Hospital Escola vêm alertando para o risco de colapso do sistema de saúde da cidade.

Já no dia 30 de julho, havíamos relatado a ocupação de 95% dos leitos de UTI para adultos e, ontem, 4 de agosto, mais uma vez observamos que a ocupação desses leitos esteve muito próximo do esgotamento.

Esta situação reforça a necessidade de ampliação imediata das medidas de isolamento social.

Ressaltamos que, quanto maior a demora na ampliação do isolamento social, menor o impacto na redução da necessidade de leitos.

Conforme as projeções, indicadas na tabela abaixo, o retardo em uma semana na implementação dessas medidas implicará em mais óbitos e na necessidade de mais leitos no pico máximo de demanda. Salientamos, também, que a informação sobre os óbitos estimados não considera eventual colapso do sistema de saúde, o que agravaria o cenário.

Na segunda feira, dia 3 de agosto, a mídia local deu visibilidade para o risco de colapso do sistema de saúde municipal, o que evidentemente contribuiu para que a população municipal tomasse mais consciência da gravidade da situação. Entretanto, a revisão da bandeira por parte do governo estadual e a falta de medidas objetivas de ampliação do isolamento social enfraquecem a mensagem. Assim, o isolamento no início da semana, embora tenha tido uma pequena ampliação (dos atuais 45%), é insuficiente para conter a aceleração da curva epidêmica. É preciso alcançar índices de 70% de isolamento social.

Além disso, observamos que o lockdown em fim de semana não é efetivo para reduzir a necessidade de leitos nas magnitudes necessárias, pois esse já é o período da semana em que menos pessoas estão circulando e, por isso, seus efeitos podem ser considerados limitados.

O Poder Público Municipal necessita definir níveis de isolamento social de forma a compatibilizar a evolução do surto epidêmico com a disponibilidade de leitos. Por isso, voltamos a recomendar a tomada de medidas mais efetivas de forma a alcançar 70% de isolamento social por três semanas.

Isso terá o potencial de reduzir em aproximadamente 31% a demanda de leitos de UTI e em 22% o número de óbitos. Não é possível cuidar da economia sem cuidar das pessoas que fazem parte de todo o setor de produção e consumo. Nada pode ser pior para a economia que o colapso do sistema de saúde que estamos observando.

É necessário um aumento expressivo do isolamento social, articulado com medidas de proteção social, para que possamos enfrentar a progressão da COVID-19 de acordo com a capacidade hospitalar do município.

2 thoughts on ““Lockdown deveria ser maior”, alerta Comitê da UFPel para Covid-19

  1. Lamentavelmente estamos diante de “orientações desorientadas”. O desastre econômico bate as nossas portas e nos cruzamentos de ruas a miséria é tão sutil como o cruzamento de de dados dos modelos de dados mais próximos do arbítrio de quem se anuncia como arauto da verdade, visando aterrorizar a população. Tem-se a impressão que esta pandemia foi criada para criar dificuldades e, posteriormente, vender facilidades. Uma jogada política em que muita gente se jogou de cabeça no oceano das incertezas. Os que precisam trabalhar, que estão na margem da sobrevivência, não tem escolha: melhor morrer de covid do que de fome. Estes guerreiros do dia a dia, dos canteiros de obra, dos pátios do setor produtivo, do comércio formal e informal, das feiras livres, dos hospitais que estão na resistência heroica.O que se conclui disso tudo que não sabendo o que fazer, tratam a população de modo arbitrário, com conclusões de pouco fundamento científico e com propósitos políticos muito claros e com pretensões de santificação.

  2. Qual base usada para tais previsões? O comitê poderia informar qual o modelo usado para calcular? O modelo falido do Imperial College erra copiosamente, a mãe Diná por telefone me parece pouco confiável e, em tempo, poderíamos fazer um exercício científico honesto: vamos acessar a biblioteca do CLINICALTRIALS e pesquisar sobre COVID-19 e LOCKDOWN. À direita do seu monitor aparecerão três espaços em branco, coloque o nome da doença no primeiro (COVID19), coloque LOCKDOWN no segundo e deixe o terceiro em branco pois ele define o país ou a sua cidade de interesse (queremos o MUNDO). Resultado: 48 pesquisas sobre o tema, 9 estudos já terminados, e 0 (ZERO) estudos que mostrem que essa atitude funcione – na verdade, todos são sobre problemas gerados e enfrentados pela aplicação de LOCKDOWN. Gostaria de saber se a maior biblioteca de pesquisas médicas do planeta está equivocada?! Abraço.

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.