Connect with us

Pandemia

Reduzidos ao essencial, no futuro teremos uma sociedade do Ter ou do Ser?

Publicado

on

Muito se fala em novo normal, na pós-pandemia. A pandemia levará a uma economia mais ecológica?

A reação dos governos foi reduzir as atividades ao essencial.

E se as pessoas gostarem desse estilo de vida mais simples?

O PIB dos países despencaria, haveria desemprego em massa. A produção focaria em alimentos, saúde, educação, entretenimento.

Haveria muito tempo livre.

Publicidade

Os governos teriam de pagar para as pessoas ficarem em casa e conseguirem satisfazer as necessidades básicas.

Seria um tipo de socialismo estilo Admirável Mundo Novo. Um prolongamento ad eternum da vida sob quarentena.

Baseado:

  1. Na superprodução de alimentos.
  2. Na superprodução de mercadorias essenciais.
  3. O pós-capitalismo…

O dia-a-dia seria completamente diferente. A educação. Tudo mudaria.

O que aconteceria quando a mais valia (o excedente) fosse tão grande que o custo do capital fosse zero?

Marx previa uma crise nesse caso.

Aconteceria isso:

A produção seria tão grande e barata que os governos poderiam distribuí-la. As máquinas e o capital seriam tão abundantes que teriam custo zero. É o que está acontecendo com o petróleo.

Publicidade

E é para onde o capitalismo está levando a humanidade, com o aumento crescente da produtividade. Para o ócio criativo. Para o socialismo.

Isso já vem acontecendo nos últimos 50 anos, mas está mascarado pela criação de novas “necessidades” não essenciais dos consumidores.

Agora estamos experimentando dispensar essas necessidades não essenciais. Dispensar o supérfluo e ficar com o absolutamente necessário.

A questão é: o que as pessoas vão preferir?

Trabalhar menos, ter menos, levar uma vida ecológica? Trabalhar mais e ter mais supérfluos, usar cada vez mais os recursos naturais?

Uma sociedade voltada para o SER ou para o TER?

Podemos entrar numa nova fase da humanidade? Como o comunismo, que ficou para trás porque não conseguiu acompanhar as inovações do capitalismo. Ou ainda é cedo?

Publicidade

Essa sociedade do SER poderá inovar tecnologia? Ou significará estagnação?

Poderá ter liberdade?

A resposta talvez esteja em sociedades como a sueca.

Em breve copiaremos os nórdicos?

Talvez estejamos em transição para essa nova sociedade, um dos sinais é o desemprego estrutural enorme de pessoas.

Publicidade
Publicidade
Clique para comentar

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor.

Brasil & Mundo

Covid-19: Brasil registra 22,1 milhões de casos e 615,6 mil mortes

Os estados com mais mortes são os seguintes: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul

Publicado

on

Dados do Ministério da Saúde divulgados neste domingo (5) apontam que o país registrou 4.884 novos diagnósticos de covid-19 em 24 horas.

O número eleva para 22.143.091 o número de pessoas infectadas pela doença desde o início da pandemia no país. Ontem (4), o painel de estatísticas marcava 22.138.247 casos acumulados.

Já as mortes pelo novo coronavírus ao longo da pandemia somam 615.636. Em 24 horas, as autoridades sanitárias notificaram 66 novos óbitos. Ontem, o painel de informações marcava 615.570 mortes acumuladas.

O balanço apontou ainda 164.902 pacientes em acompanhamento e 21.362.553 recuperados da doença.

Estados

Os estados com mais mortes são os seguintes: São Paulo (154.362), Rio de Janeiro (69.140), Minas Gerais (56.321), Paraná (40.809) e Rio Grande do Sul (36.203).

Já as unidades da Federação com menos óbitos são Acre (1.849), Amapá (2.004), Roraima (2.056), Tocantins (3.922) e Sergipe (6.047).

Publicidade
Continue Reading

Brasil & Mundo

Manifestantes marcham contra restrições da covid no noroeste da Europa

Restrições foram retomadas em meio a novo pico de infecções

Publicado

on

Dezenas de milhares de manifestantes marcharam por várias cidades no noroeste da Europa neste sábado (4) contra as restrições para conter o coronavírus, impostas em meio a um pico de infecções.

No mês passado, a Áustria se tornou o primeiro país da Europa Ocidental a retomar um lockdown, que deve durar 20 dias, e disse que tornaria a vacinação obrigatória a partir de fevereiro.

Alguns dos mais de 40 mil manifestantes em Viena carregaram cartazes dizendo: “Eu decidirei por mim mesmo”, “Torne a Áustria Grande Novamente” e “Novas Eleições” – um aceno à turbulência política que gerou três chanceleres em dois meses.

Na cidade de Utrecht, região central da Holanda, milhares de pessoas se manifestaram contra as restrições que começaram no último fim de semana.

Na capital financeira da Alemanha, Frankfurt, a polícia dispersou um protesto de centenas de pessoas por não utilizarem máscaras ou manter o distanciamento social, usando cassetetes e spray de pimenta, após os policiais serem atacados por um grupo de manifestantes.

Em Berlim, onde um novo governo deve ser empossado em alguns dias, pequenos grupos se reuniram para protestar, após uma manifestação maior ter sido proibida.

Publicidade
Continue Reading

Especial

Covid mata quatro pessoas e contamina 31 nas últimas 24 horas

Publicado

on

Quatro pessoas morreram e 31 foram contaminadas pela covid nas últimas 24 horas.

Três mulheres, 62, 67, 78, um homem de 71.

Pelotas chega a 1.256 mortes pela doença.

512 pessoas isoladas.

37 pessoas estão internadas, 40,7% de ocupação dos 91 leitos disponíveis.

14 em UTI, 35,9% de ocupação dos 39 leitos disponíveis.

Publicidade

23 em enfermaria, 44,2% de ocupação dos leitos disponíveis.

95,4% da população vacinável tomaram a primeira dose. 80,7%, tomaram a segunda dose; 44,1%, a terceira.

Continue Reading



Publicidade
Publicidade

Mais lidas em três dias