O mesmo dia ‘todos os dias’ em Palm Springs!

Nyles (Andy Samberg) é um entediado convidado de um casamento em Palm Springs que chama a atenção de Sarah (Cristin Milioti), a dama de honra e irmã da noiva.

Os dois conversam e se divertem, mas a noite termina de forma surreal, com Sarah descobrindo que Nyles está vivendo o mesmo dia todos os dias, literalmente.

Para piorar a situação, ela também acaba presa no mesmo loop temporal. E eles não estão sozinhos. 

A premissa de Palm Springs não é inovadora, e com isso, as comparações com Feitiço do Tempo são inevitáveis.

Felizmente, aqui o filme reconhece rapidamente todas as regras estabelecidas pela proposta de repetir continuamente o mesmo dia, deixando bem claro que Nyles já fez tudo que esperamos de alguém nessa situação.

Há também elementos envolvendo ficção científica, muito bem explicados de maneira simples e objetiva. Assim, a adição de um terceiro personagem na trama funciona perfeitamente, em uma participação do fantástico J.K Simmons. 

O diretor estreante em longa-metragem Max Barbakow aproveita a extraordinária química entre Andy Samberg e Cristin Milioti, enquanto que o roteiro do também estreante Andy Siara pega um conceito imaginativo e o desenvolve de maneira cativante e até intrigante.

O grande destaque está na dinâmica entre os protagonistas. Se Nyles já está acostumado com a situação e não se importa com mais nada, Sarah não quer ficar presa no mesmo dia para sempre, sendo a responsável por assimilar todo o absurdo e tentar conciliar o choque de sua nova realidade com os problemas que deixou sem solução no dia do casamento.

Com uma duração curta e um ritmo rápido, o divertido e criativo Palm Springs cativa graças aos seus personagens extremamente carismáticos. Entretenimento da melhor qualidade. 

Uma dica: continue assistindo o filme assim que terminar, pois há uma cena durante os créditos.  

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.