Federasul: “Política do ‘abre e fecha’ está esfacelando empresas e contas do estado”

Federasul envia ao Amigos a nota abaixo:

Em face da autorização da retomada parcial das atividades econômicas, a Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul (FEDERASUL) reitera seu descontentamento com a “Política do Abre-Fecha”, que está contribuindo, velozmente, para o esfacelamento de empresas e das contas do Estado.

O regime adotado em nosso Estado, abarcado pelo Sistema de Distanciamento, é muito prejudicial e gera uma grande instabilidade, visto que os empresários não conseguem programar estoques, efetuar novas compras e organizar o fluxo de caixa, quando este ainda existe. Muitos já estão desistindo e fechando às portas de forma definitiva, assim, contribuindo forçadamente com a crise econômica já existente no Rio Grande do Sul.

Muitos empresários optaram pelo programa do Governo Federal, que evita o desemprego, e hoje precisam ir na contramão, demitindo funcionários para, de fato, reduzir os custos fixos de suas operações. Outro aspecto que preocupa é a demanda reprimida do consumidor, que precisa “correr” para as lojas, em virtude do cenário de instabilidade instalado no comércio, indústria, serviços e demais setores da economia gaúcha.

A FEDERASUL reitera o seu compromisso com a saúde e a vida de todos. Não há local mais seguro que dentro das empresas. Manter todas as atividades em pleno funcionamento, evita aglomerações, mesmo durante o breve período permitido para operar. A manutenção da abertura reduz os custos e ônus sustentados pela classe empresarial, em virtude de não poder abrir as portas de seus estabelecimentos, de não poder faturar, e mais ainda, de não ter a previsibilidade de até quando o governo permitirá executar suas atividades. 

SIMONE LEITE, PRESIDENTE DA FEDERASUL

Simone Leite

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.