“Reforma Tributária gaúcha não reduz impostos, mas sim o contrário”. Por Mateus Bandeira

Mateus Bandeira, conselheiro de administração e consultor de empresas, foi CEO da Falconi, presidente do Banrisul e secretário de Planejamento do RS

Mateus

Os colunistas políticos da ZH, lamentavelmente, mais parecem assessoria de comunicação e marketing dos governos Leite e Marchezan, reproduzindo em suas colunas diárias uma espécie de “release” das propostas dos governos do Estado e da capital.

Nos últimos dias, tem sido uma constante os sofismas sobre a propalada *Reforma Tributária Estadual*.

Dizer que a “reforma” propõe a redução da alíquota geral de ICMS de 18% para 17% é uma mentira descarada – o ICMS está com as *alíquotas elevadas temporariamente* desde 2015, com prazo para terminar em 2020.

Em 2018, o Governo do Estado *pediu a prorrogação* das alíquotas elevadas por mais 2 anos, pois o então governador eleito dizia na campanha que só precisava desse tempo para “*reorganizar o fluxo de caixa*”.

Ou seja: mesmo *sem a reforma* a alíquota geral do ICMS *voltará para o patamar original de 17%*; e o mesmo vale para as *alíquotas majoradas de 30%* dos combustíveis, energia e telecomunicações, que da mesma forma *inexoravelmente retornam para 25%* no final do ano.

Portanto, a *redução* dessas alíquotas *não é objeto dessa proposta*.

A Reforma Tributária, diferentemente do que a ZH e parte da imprensa local vem defendendo, *NÃO REDUZ IMPOSTOS*. Pelo contrário: *Ela aumenta OUTROS impostos* (gás de cozinha, medicamentos, cesta básica, erva mate, vinho, etc.) para compensar a redução de alíquotas de ICMS que ocorrerá de qualquer forma, consolidando assim a elevação da altíssima carga tributária que afugenta investimentos para estados vizinhos e penaliza o Rio Grande do Sul há anos.

Uma pena que a ZH tenha abandonado seu senso crítico e deixado no passado aquela costumeira fiscalização e cobrança de promessas de campanha dos governantes, que não se vê mais no governo atual.

Chega dessa vocação de passar pano para governantes mentirosos!

Textos de opinião refletem a posição exclusiva de seu autor.

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.