Opinião livre: “A ciência tem rosto!” Por Neiff Satte Alam

“…afirmo convictamente que humanizar o conhecimento é fundamental para revolucionarmos a educação.” Augusto Cury

Na sala de aula, junto aos pequenos seres com grande potencial, abrem-se poderosas janelas para a formação de pensadores quando exploramos a capacidade latente de nossos alunos em um mundo virgem a ser criado e recriado a partir de um trabalho pedagógico com construção de competências.

Basta que, junto com a exteriorização de informações e conhecimentos, dê-se vida aos pensadores que criaram estes pensamentos, pois, desta forma, estaremos dando vida e significado ao conhecimento.

Darwin

As nossas crianças, desde cedo, devem ter a exata noção do esforço e desprendimento daqueles que criaram e desenvolveram ideias relativas ao que estão aprendendo. Um aluno poderá entender melhor uma Lei da Física se conhecer um pouco do cientista que a elaborou, principalmente porque lhe parecerá algo mais humano e não algo que surge das páginas de um livro. Desta forma, no futuro, com novas assimilações de informações, poderá ser o promotor de mudanças nesta mesma Lei.

OPINIÃO LIVRE (artigos p/ whats 9-9928-9097)

Charles Darwin, para muitos apenas um nome inscrito na história da evolução, foi uma das pessoas mais dedicadas à manutenção de uma biodiversidade em harmonia na natureza, esta sua dedicação foi um dos estímulos a buscar entender esta mesma biodiversidade e suas origens. Sem conhecer a pessoa do pensador, a ciência parece não ter rosto e o entendimento de seu pensamento fica despersonalizado.

Como bem diz Augusto Cury, “…por trás de cada informação dada com simplicidade em sala de aula existem as lágrimas, as aventuras e a coragem dos cientistas.”

Ignoramos quantos cientistas foram sacrificados pela coragem de manter suas idéias e defendê-las contra tudo e contra todos. O próprio Darwin, para defender suas idéias, sofreu ataques e injúrias de toda ordem, principalmente dos que não tinham interesse em que suas ideias se propagassem, pois poderiam comprometer a estabilidade sócio-político-religiosa na época em que as propagou.

As ideias não morrem com a morte dos que as criaram, mas se diluem pela noosfera (esfera do pensamento) e deságuam em cada ser que se habilitar a refletir sobre estes pensamentos.

Nossas crianças poderão ser estes seres, pois estão aptas a recebê-los e a dar-lhes melhor destino por não estarem impregnadas de preconceitos, mas, se tiverem um conhecimento de quem gerou este saber, poderão avançar com competência e, no futuro, utilizá-lo ou reformá-lo, pois não só aprendemos pela observação, mas também avançamos além do conhecimento original da mesma forma, isto é, por assimilação.

Voltando ao Darwin, a sua teoria sobre a Evolução das Espécies foi modificada por assimilação de conhecimentos novos na área da genética, mas a essência se manteve. Todo este caminho deve ser de conhecimento do estudante para que, entendendo os caminhos das origens de um conhecimento e principalmente das dificuldades de quem o elaborou, possa avançar em segurança pelos seus próprios caminhos.

Neiff Satte Alam é professor Universitário Aposentado – UFPEL Biólogo e Especialista em Informática na Educação

Facebook do autor

1 thought on “Opinião livre: “A ciência tem rosto!” Por Neiff Satte Alam

  1. Tenho uma filha de 13 anos estava com muito medo do que ela acessava na internet então instalei o Bruno Espião, e descobri tudo que ela estava fazendo no celular e também consigo saber onde esta o tempo todo é o bom que é tudo em tempo real é muito bom recomendo.

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.