Caro Zucka

Caro Zucka,

É com emoção que pego do teclado para traçar essas mal digitadas linhas, esperando que esta postagem o encontre gozando de boa saúde junto aos seus.

O motivo desta missiva é que, pela segunda vez, o senhor me obriga a mudar para o novo feicebuque, exatamente como fazia minha mãe, que me enfiava goela abaixo duas colheradas de Emulsão de Scott ou Óleo de Fígado de Bacalhau com o argumento de que aquilo era melhor para mim. Não era. E eu tinha que engolir (literalmente) de bico calado, ou o chinelo cantava e o couro comia.

Não vejo vantagem nenhuma no novo feicebuque. Ok, as letras ficaram maiores – mas isso eu podia fazer com o Control +. O álbuns de fotos ficaram mais difíceis de organizar. É mais provável mencionar um governador do Rio de Janeiro que preste que achar o caminho para agendar postagens.

Mas celavi. O aplicativo é de graça, a gente está aqui porque quer, os desconsolados que se mudem para o Xuleice, o Relôu, o Miuí, o Tiquetoque.

Então, já que vai dar uma trabalheira danada levar para essas outras plataformas todas as postagens, amigos, bloques e laiques, a gente vai ficando. Mas queria sugerir alguns aprimoramentos. Coisa pouca, mas que ajudaria – como um copo de quissuco de framboesa – a engolir o Óleo de Rícino que nos espera a partir deste mês.

LAIQUE QUE NÃO É LAIQUE. Andei desfazendo amizade com gente que deu laique em postagens nas quais eu era chamado de fascista, nazista, comunista, isentão, bobo, feio, pé grande e moralonge. Pois bem. Os ex-amigos – um pote até aqui de mágoa – vieram se explicar que não é que tenham curtido: só curtiram. Não estavam de acordo. Nem leram. Mas sabe quando você vê uma postagem, não é a favor nem contra, mas tem uma comichão para clicar num botãozinho? “Fulano é um canalha”: laique. “Quero que Sicrana morra com um furúnculo na virilha e um panarício no sovaco”: laique. E a pessoa não acha fulano um canalha, não deseja mal à sicrana e nem sabe o que é panarício. Que tal criar um botãozinho de “Oi, sumido! Passei por aqui e resolvi dar um alô. Tutupom?”. Assim não se compromete, não perde os amigos nem desperdiça a oportunidade de clicar por clicar em algo que nem leu. E não fica dando moral para os rêiters.

“NÃO SEI SE RIO OU SE CHORO”. Se eu ganhasse R$ 1,00 por comentário assim, o Jeff Bezos já era o vice na lista da Forbes. Bora poupar as pessoas e criar um ícone que sintetize esse sentimento tão comum à nossa brava gente que ri quando deve chorar, e não vive, apenas aguenta?

“QUERIA DAR MIL LAIQUES”. Um iconezinho de mil laiques não custa nada, custa? Depois é só colocar esse ícone elevado à segunda potência, terceira potência e a pessoa dará quantos laiques quiser.

PALANQUE. Tem gente que usa a seção de comentários para fazer discurso. Se fizer na própria página, ninguém lê. Então pega um banquinho, um megafone, e vem arengar na postagem da gente. Ali do ladinho de “Curtir”, “Comentar” e “Compartilhar”, podia ter o “Discursar”, onde a pessoa usaria todos os capisloques e exclamações que quisesse, sem prejudicar a sequência de comentários. Quem quisesse ir lá, iria por sua conta e risco.

BLOQUE. Bloque é vida, bloque é saúde, como já pontificou a Cora. Mas tem bug. A gente bloqueia o cristão no nosso perfil, achando que conseguiu um livramento, e lá vem a criatura tomar satisfação com a gente na página. Banir alguém da página é tão simples quanto conseguir que a Leilane Neubarth faça anúncio de ivermectina. Quando a gente finalmente logra êxito e bane da página, adivinha quem aparece no insta contando desaforo? Zucka, viabilize um bloque amplo, geral e irrestrito. Tipo medida protetiva, sabe como? Com tornozeleira eletrônica virtual e tudo. Gratidão.

É isso.

Espero ter contribuído para o aprimoramento do seu ganha pão, do qual sou grande entusiasta.

Sendo o que se apresenta para o momento, subscrevemo-nos, reafirmando os nossos protestos de elevada estima e consideração.

E.A.

Eduardo Affonso é colunista de O Globo e, a pedido nosso, autorizou o compartilhamento, aqui, de seus posts no facebook.

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.