UPA Areal retoma atendimentos de síndromes gripais

Aumento de casos positivos e de internações motivam retomada do pronto atendimento para pessoas com sintomas gripais na UPA Areal a partir da quinta-feira (19).

Em reunião na manhã desta terça-feira (17), o Executivo municipal, Secretaria de Saúde (SMS), gestores dos hospitais, Pronto Socorro, Centro Covid e UPA Areal analisaram a necessidade da readequação e reforço para casos de pessoas com sintomas gripais em Pelotas, com a retomada do atendimento de pacientes com sintomas gripais na UPA Areal, assim como a possibilidade de ampliação de leitos.

A medida se dá a partir do registro de aumento do número de confirmados para coronavírus, assim como de internações – um acréscimo de 58% em menos de dez dias, conforme dados da Diretoria de Regulação de Leitos.

O planejamento prevê, segundo a secretária de Saúde, Roberta Paganini, a retomada, nesta quinta-feira (19), a partir das 8h, do pronto atendimento exclusivo de casos de síndromes gripais na UPA Areal, como já vinha ocorrendo desde julho.

“Vamos retomar o atendimento de pacientes com sintomas gripais, na UPA Areal, para ampliar os serviços à população adulta, uma vez que temos também o Centro Covid funcionando, mas com uma demanda muito grande neste momento. Como a UPA Areal não possui leitos de internação, pacientes que precisem desse tipo de atendimento serão encaminhados para o Centro Covid ou para os hospitais, conforme o quadro clínico”, explica a secretária.

Crianças permanecem atendidas nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e no Centro Covid. As UBSs recebem casos leves, adultos e infantis, de sintomas gripais, pela manhã – das 8h às 13h e, à tarde, mantêm o serviço rotineiro. Com essa medida, o Pronto Socorro volta a ser a “porta de entrada” para as emergências relacionadas a outras doenças.

Leitos hospitalares

Durante a reunião virtual, os gestores dos hospitais confirmaram o crescimento de internações nos últimos dias, especialmente em leitos de Enfermaria. Comprometeram-se a analisar a reativação de leitos Covid. A falta de profissionais para compor as equipes, não só médicos, mas enfermeiros e técnicos, foi apontada de forma unânime.

“Nossas equipes, com contratação temporária, na grande maioria, não renovaram. O quantitativo usual permanece, mas com muitos afastamentos. Entendemos a nossa responsabilidade neste momento, mas vamos precisar de força externa para recrutamento, como a ajuda da UFPel, tentativas de novas contratações, e autorização para fazer processo seletivo. Vamos necessitar de tempo, mas somos parceiros nesse processo”, frisou a gerente de Atenção à Saúde do HE-UFPel, Carolina Ziebell.

Os representantes dos hospitais também salientaram a necessidade de rever os procedimentos eletivos, já que, pelo momento epidemiológico, equipes de profissionais, assim como leitos, devem ser priorizados para casos de Covid-19.

Outro assunto discutido foi a necessidade da retomada do pagamento integral, pelo Ministério da Saúde, das contratualizações hospitalares, independente dos atendimentos realizados, como ocorreu nos primeiros meses da pandemia. A gestão municipal já fez contato com o governo do Estado para que leve essa demanda ao federal.

Medidas

A Prefeitura adiantou, aos participantes da reunião, que todas as decisões relacionadas à reestruturação da rede Covid, em Pelotas, deverão ser analisadas pelo Comitê de Enfrentamento – grupo formado por representantes de vários setores do Município -, e pelo Conselho Municipal de Saúde. O Executivo municipal também vai publicar novo decreto, com restrições a atividades que estejam estimulando aglomerações e proporcionando o contágio cada vez maior pelo vírus causador da Covid-19.

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.