Turbulento sistema de votação. Por Renato Sant’Ana

Renato Sant’Ana*

Sob o título “Nosso nebuloso sistema de votação”, esta coluna advertiu,
dias atrás, para a fragilidade (eufemismo) de um sistema baseado na
“urna eletrônica”, que nem urna é, mas um compilador de dados.

Aí, no dia da votação, estourou a bomba: hackers tinham invadido os
“computadores” do Superior Tribunal Eleitoral (TSE).

Apesar disso, o pessoal da Justiça Eleitoral segue mantendo o surrado
discurso da “total segurança da urna eletrônica”.

Outra advertência foi para a possibilidade de alguém votar em nome dos
que não comparecem no dia da votação.

O voto é virtual (não deixa vestígios e impede a recontagem); é grande o
número de eleitores que não comparece; e é possível, aos mesários, ter
certo controle sobre quem não vai comparecer.

Mas também nesse ponto a Justiça Eleitoral não reconhece o problema.

Oxalá, só existam mesários honestos…

Agora, como saber se, além de causar tumulto, os hackers não alteraram a
votação em favor de candidatos de seu interesse ideológico?

E quem pode assegurar que ninguém tirou proveito das abstenções?

Não se trata de pôr sob suspeita os resultados do último dia 15,
mas de examinar em abstrato a questão.

Fato é que ninguém dispõe de dados objetivos para afirmar se há ou não
fraude, já que é impossível a recontagem dos votos, o que impede a
existência de contraprova, tornando obscuro o processo.

Mas resta muito o que fazer. E não há por que pecar por omissão.

Onde houver 2º turno, é vital que os partidos organizem a mais rigorosa
fiscalização, o que concorre para a transparência do pleito.

E o eleitor de boa vontade terá que reflexionar!

Por mais que não tenha tal intenção, quem não aparece para votar acaba
somando para  ampliar as condições favoráveis a fraude.

Para finalizar,  meditemos no que adverte Edmund Burke:

“Para que o mal triunfe basta que os bons fiquem de braços cruzados.”

Renato Sant’Ana é Advogado e Psicólogo.
E-mail sentinela.rs@uol.com.br

Artigos de opinião refletem a posição exclusiva de seu autor.

1 thought on “Turbulento sistema de votação. Por Renato Sant’Ana

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.