“Brasil é terrivelmente racista”

Ricardo Rangel*

O Brasil é um país trágica e terrivelmente racista.

Não surpreende que assim seja. Com nossa herança escravocrata, surpreenderia se assim não fosse. Afinal, apenas quatro gerações atrás, era legal que brancos comprassem e vendessem negros, que torturassem negros, matassem negros. É assustador que algo tão monstruoso tenha sido considerado normal em qualquer época, e ainda mais assustador que tenha sido assim há tão pouco tempo.

O fato de sermos um país fortemente miscigenado, em que quase todos temos sangue negro nas veias, faz com que nosso racismo tenha uma dose nada desprezível de ridículo — mas isso não faz com que ele seja menos brutal para com aqueles que trazem a negritude mais manifesta na epiderme.

Não e fácil combater o racismo. Como todo traço cultural, ele é apreendido cedo, quando a criança não se dá conta de que está se tornando preconceituosa. Uma vez instalado o preconceito, é dificílimo removê-lo.

Como combater o racismo exige um debate amplo e franco — sem preconceito. Mas uma coisa é certa: é impossível combater um problema sem reconhecer que ele existe. E nós somos especialistas em fingir que nossos problemas não existem. Já passou da hora de parar de tapar o sol com a peneira.

Ricardo Rangel é colunista de Veja e, a pedido nosso, autorizou o compartilhamento, aqui, de seus posts no facebook.

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.