“A doença está longe de ser controlada no país”

Margareth Dalcolmo, pneumologista e pesquisadora da Fiocruz:

“Não podemos cravar ainda que haja uma segunda onda de covid no Brasil. Considera-se a segunda onda de uma epidemia quando já houve uma redução grande e depois os números de casos e mortes aumentam em mais de 50%, como está acontecendo na Europa.

No Brasil, podemos pensar nesse movimento apenas no Norte, nem isso se caracterizou ainda. Passamos pelo pico epidêmico lá pelo final de junho e mantivemos um patamar de transmissão muito alto ainda.”

“A doença está longe de ser controlada no país”.

Margareth Dalcolmo

1 thought on ““A doença está longe de ser controlada no país”

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.